Privatização do negócio do lixo

O Conselho de Ministros aprovou  as regras que vão permitir adequar a futura alienação do capital social da Empresa Geral do Fomento, S.A. (EGF) com as entidades privadas que irão gerir os sistemas multimunicipais de tratamento e de recolha seletiva de resíduos urbanos.

Ainda nesta matéria o Governo aprovou 11 diplomas que concretizam as alterações nos estatutos das sociedades gestoras no sentido de permitir a entrada de capital privado nos sistemas multimunicipais no setor dos resíduos urbanos.

As entidades gestoras em referência são: Algar – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, S.A.; Amarsul ?Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, S.A.; Ersuc – Resíduos Sólidos do Centro, S.A.; Resinorte – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, S.A.; Resulima – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, S.A.; Resiestrela – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, S.A.; Suldouro – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos, S.A.; Valnor – Valorização e Tratamento de Resíduos do Norte Alentejano, S.A.; Valorlis – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, S.A.; Valorminho – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, S.A.; e Valorsul – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos das Regiões de Lisboa e do Oeste, S.A..

 

Fonte: Lexpoint

 

Compartilhar

Leave a Reply