Praxistas condenados

Pela primeira vez, a Justiça portuguesa condenou a violência das praxes académicas. O julgamento do caso da Escola Superior Agrária de Santarém, em que uma aluna foi humilhada nos rituais da praxe, resultou numa sentença histórica: seis condenações por abuso da integridade física qualificada em co-autoria e uma por coacção, punidas com multas entre os 640 e 1600 euros.

O caso aconteceu em 2002, altura em que Ana Santos entrava na Escola Agrária de Santarém. Numa cerimónia de praxe, os “veteranos” agora condenados pela justiça deram ordens a estudantes recém-entrados para barrarem Ana com excrementos de porco contra a sua vontade, como castigo por ter atendido uma chamada de telemóvel da mãe.

Compartilhar

Leave a Reply