Estado discrimina mecânicos e restaurantes

Só fogo de vista… Não há nenhum incentivo para que os contribuintes exijam faturas relativas aos negócio em que se envolvem os poderosos.

Demagogicamente, perseguem-se os mecânicos e os restaurantes, mas ficam de fora, por exemplo,  os advogados e os consultores. A classe política protege as áreas em que ela pópria labora e em que laboram os seus amigos.
Nós ganhariamos se fosse criado um benefício fiscal relativo às faturas dos advogados. Porque faturamos tudo e somos vitimas da concorrência desleal de outros operadores que não faturam nada.

Decreto-Lei n.º 197/2012. D.R. n.º 164, Série I de 2012-08-24

Ministério das Finanças

Introduz alterações no Código do IVA, no Regime do IVA nas Transações Intracomunitárias e alguma legislação complementar, transpondo o artigo 4.º da Diretiva n.º 2008/8/CE, do Conselho, de 12 de fevereiro, em matéria de localização das prestações de serviços, e a Diretiva n.º 2010/45/UE, do Conselho, de 13 de julho, em matéria de faturação, dando execução às autorizações legislativas constantes do artigo 128.º da Lei n.º 64-A/2011, de 30 de dezembro.

 

 

Compartilhar

Leave a Reply