Cresce emigração para o Brasil

A emigração portuguesa para o Brasil cresce todos os dias.
Os números oficiais são pouco reveladores da realidade, pois que uma boa parte dos novos emigrantes ou têm relações de natureza familiar que lhes permite obter autorização de residência com esse fundamento ou, pura e simplesmente, ficam no país como ilegais, aproveitando as facilidades que lhes são concedidas por familiares ou amigos, à espera de uma amnistia.
Mesmo no que se refere a quadros qualificados, como engenheiros e arquitectos, há jovens portugueses a trabalhar no Brasil em situação ilegal, o que conduz a que sejam remunerados por valores inferiores aos que correm no mercado.
Operadores nas áreas da imigração e da relocação de pessoal referem que muitos destes imigrantes, geralmente jovens, vieram para o Brasil sem visto de trabalho e sem terem previamente diligenciado no sentido de ver reconhecidos os seus diplomas académicos.
Tal reconhecimento, facilitado embora pelo Tratado de Porto Seguro, não é automático e demora alguns meses.
Para além da imigração de quadros técnicos, o Brasil vem sendo procurado, nos últimos tempos, por pequenos empresários, das mais diversas áreas, especialmente da construção civil.
Alguns deles conseguiram desenvolver projetos com o apoio da familiares. Mas uma boa parte está condenada ao regresso, por não ter as mínimas condições para implantar uma empresa.
O eldorado do Brasil barato acabou mesmo no Nordeste e São Paulo é já uma das cidades mais caras do Mundo, em que os preços do imobiliário dispararam vertiginosamente.
O tempo em que a árvore das patacas estava na Europa, como o euro a valer 4 reais, também se finou. Os euros são mais raros e valem muito menos.
Para quem queira desenvolver uma atividade por conta própria no Brasil, é indispensável ter dinheiro ou associar-se a quem o tenha. Mesmo para os pequenos negócios que, à partida, se veja que estão condenados ao sucesso.
Não vale a pena vir para o Brasil de mãos a abanar. E sobretudo é recomendável que os portugueses – e os demais europeus, pois que também há magotes de novos imigrantes espanhóis e italianos – não continuem a vir para este país indocumentados à procura da sorte.
As autoridades brasileiras são muito exigentes em matéria de imigração, tendo concedido apenas 209 autorizações de trabalho a cidadãos portugueses, no primeiro trimestre do ano corrente.
E os advogados não fazem milagres…

A MRA assiste candidatos à imigração para o Brasil, nos escritórios de Lisboa, São Paulo, Fortaleza, Rio de Janeiro e Newark

Contacto

Compartilhar

Leave a Reply