Alguém quer discriminar os Portugueses da Índia

De vez em quando há uns iluminados que mandam umas bocas sobre matérias tão sensíveis como é a da nacionalidade portuguesa. Foi o que aconteceu agora, com noticias lançadas em jornais indianos, que criaram um ambiente de alarme junto da população.
Segundo as noticias, injetadas em dois prestigiados jornais, a Embaixada de Portugal em Nova Deli propôs ao governo português que  deixe de reconhecer a nacionalidade portuguesa aos que nasceram em Goa, Damão e Diu antes da tomada desses territórios pela República da India.
Com isto se acelerou a corrida a um negócio de documentos cada vez mais marcado pela corrupção.
É absolutamente impensável retirar aos portugueses da India os direitos de que são titulares. Se as autoridades portuguesas resolvessem retirar o direito à nacionalidade aos filhos dos portugueses nascidos no estrangeiro, teriam que o fazer de forma geral e abstrata, sem penalizar os que nasceram na India, por relação aos que nasceram no Brasil ou nos Estados Unidos.
Estamos em crer que este alarme se destina, tão só, a favorecer uma multidão de operadores, na maioria dos casos não capacitados, que vivem do “negócio das dificuldades”.
Parece-nos que é tempo de as autoridades judiciárias investigarem o que se passa nas repartições diplomáticas e consulares da Índia, onde são fortíssimos os indícios de corrupção.
Para além de tudo facilitar a falsificação de documentos – porque os originais são destruidos… como manda a lei – para tudo se criam dificuldades. Até para obter um vulgar cartão de cidadão é necessário recorrer aos tribunais.

Veja o depoimento de Miguel Reis 

Compartilhar

Leave a Reply