Wikileaks: Ex-banqueiro entrega informação secreta sobre 2000 contas offshore

Um ex-banqueiro suíço entregou hoje ao fundador da Wikileaks dois CD com detalhes sobre as contas de dois mil clientes. Rudolf Elmer recorreu ao portal responsável pela publicação de vários documentos secretos por considerar que o sistema das contas ‘offshore’ “prejudica a sociedade”, explicou numa conferência de imprensa em Londres. “Quero que a sociedade saiba como funciona este sistema”, em relação ao qual se manifestou “contra”.

Foi quando Elmer trabalhou para o Julius Baer, o principal grupo bancário suíço, nas ilhas Caimão que reparou na “cauda do rato”, contou. “Comecei a puxar um pouco e a cauda ficou maior, voltei para a Suíça e continuei a puxar e continuou a aumentar até que se transformou num dragão que cospe fogo e com várias cabeças”, acrescentou. Elmer desconfiou que algo estava mal desde o início, mas mesmo depois de mudar de banco continuou a “achar estranho” o sistema, disse. Todavia, encontrou dificuldades em divulgar a informação junto das autoridades fiscais e da imprensa até que entrou em contacto com o Wikileaks em 2008.

Enquanto perito neste tipo de operações, Eimer afirmou que há “dinheiro a ser desviado por instituições financeiras, multinacionais e indivíduos para ser escondido em contas ‘offshore'”. O antigo banqueiro recusou revelar nomes, embora, numa entrevista ao The Observer, tenha referido possuir detalhes sobre cerca de dois mil clientes, que descreve como indivíduos e empresas com “muito dinheiro”. Entre estes estarão, de acordo com o semanário, “aproximadamente 40” do Reino Unido, Estados Unidos e Ásia.

O fundador da Wikileaks garantiu que a informação será divulgada após ser analisada, eventualmente dentro de duas semanas ou mais tarde. “Vamos tratar esta informação como qualquer outra que recebemos, por isso assumo que irá haver uma revelação total”, adiantou Assange. Embora Elmer seja esperado na Suíça para o julgamento na quarta-feira por alegadamente ter violado a lei do segredo bancário, o fundador do Wikileaks considerou-o um “denunciante de boa fé” e “merecedor de apoio”.

O portal Wikileaks tem sido responsável pela divulgação de vários documentos confidenciais nos últimos anos, nomeadamente sobre as guerras do Iraque e Afeganistão. Actualmente é motivo de controvérsia devido à publicação de um lote de 250 mil telegramas diplomáticos norte-americanos.

MRA Alliance/DE

Leave a Reply