Venezuela: Chávez sente o sabor amargo da vitória eleitoral

Hugo ChávezNa Venezuela, quando os resultados eleitorais demoram a ser comunicados oficialmente, o partido do presidente Hugo Chavez, PSUV, obteve 95 dos 165 deputados que compõem a Assembleia Nacional (AN), perdendo a desejada maioria qualificada.Oito horas foram necessárias para que Tibisay Lucena, presidente da Comissão Nacional Eleitoral (CNE), anunciasse oficialmente os resultados das eleições legislativas venezuelanas. Todos os órgãos de comunicação estavam proibidos de difundirem qualquer resultado estimativo ou cenário provável.

Para um dos líderes do MUD o 26 de Setembro marca «o início do fim de Chavez» e confirmava que «a próxima batalha será travada nas presidenciais». Todavia, a plataforma da oposição ainda não tem um candidato e a sua escolha já se apresenta como uma tarefa dificil onde a unanimidade não está em cima da mesa.

Depois do poder absoluto na Venezuela o partido de Hugo Chavez teve de aceitar a reviravolta democrática e começar a pensar num governo sem maioria qualificada nem com 3/5 da assembleia tal como pretendia e que lhe permitiria de neutralizar a oposição prosseguindo com a revolução bolivariana.

«A Venezuela já não é vermelha» publicou em manchete o diário «El Nacional», no entanto a nova composição da AN entra em funções oficialmente no início de Janeiro de 2011. Durante os 90 dias que precedem o PSUV e Hugo Chavez ainda dispõem de poderes absolutos na Venezuela, uma situação que deixa apreensiva a oposição que receia que o governo tome medidas de «urgência» que prejudiquem a transição. Todavia, Hugo Chavez, na véspera do escrutínio afirmara que aceitaria os resultados expressos nas urnas e apelava à mesma atitude da oposição.

MRA Alliance/Jornal Digital

Leave a Reply