UE: Desemprego sobe e agravam-se as perspectivas para 2010

O emprego nos 16 países membros da Zona Euro caiu o dobro (-0,8%) nos três primeiros meses deste ano face ao último trimestre de 2008, registando a maior contracção desde 1995, data do início desta série estatística, de acordo com os  dados divulgados hoje pelo Eurostat, em Bruxelas. 

Em Portugal, o emprego contraiu 1,2% no primeiro trimestre do ano, contra um aumento de 0,2% no último trimestre de 2008. Face ao período homólogo do ano passado, a queda foi de 1,6%.

Com quedas superiores à registada em Portugal estiveram a Lituânia (-4,5%), Espanha (-3,1%), Eslováquia (-1,9%), Grécia (-1,8%) e Áustria (-1,3%) segundo os dados do Eurostat.

Na UE-27, a contracção do emprego foi também de 0,8% no primeiro trimestre de 2009 face ao trimestre anterior.

“As empresas vão continuar a cortar postos de trabalho em 2010, elevando a taxa de desemprego na região”, comentou à Bloomberg o economista do Deutsche Bank, Stefan Bielmeier. “Apesar de a economia poder começar a estabilizar, o pior ainda está para vir no que diz respeito ao mercado laboral”, acrescentou.

A economia da Zona Euro deverá encolher 4,6% este ano e 0,3% em 2010, previu o BCE este mês. Por outro lado, a Comissão Europeia estima que o desemprego atinja 9,9% em 2009 e 11,5% em 2010, com a Irlanda e a Espanha no pelotão da frente

A taxa de desemprego na Europa é actualmente de 9,2%, a mais elevada desde há quase uma década.

MRA Alliance/Agências

Leave a Reply