Eurobonds: Governo alemão dividido entre a rejeição e a tolerância

O ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, manifestou-se contra as ajudas ilimitadas aos países da zona euro em situação de pré-default e advertiu que «não haverá uma salvação a qualquer preço». Schäuble voltou a refutar expressamente a fórmula de criar títulos de dívida europeus, os chamados eurobonds, numa  entrevista concedida ao «Der Spiegel», que estará nas bancas amanhã.
 
 „Rejeito os eurobonds, enquanto os Estados-membros prosseguirem políticas fiscais distintas, quando nós precisamos de usar as taxas de juro para podermos dar incentivos ou impôr sanções tendo em vista termos uma política fiscal sólida”, precisou Schäuble. 
 
 «Não haverá uma divisão de dívidas nem um apoio ilimitado. Existem certos mecanismos de apoio que desenvolveremos sob condições estritas», reafirmou na  entrevista ao semanário «Der Spiegel», que estará nas bancas amanhã, citada na edição de hoje do diário Frankfurter Allgemeine Zeitung (FAZ).
Em contrapartida, a notícia do FAZ dá conta da existência de uma tendência crescente no seio da coligação cristã-liberal CDU/CSU-FDP de adesão à emissão de títulos de dívida comuns aos países da Zona Euro.

“Nos círculos da coligação aumenta a percepção de que possivelmente a União Europeia não terá salvação caso não seja adoptada uma medida deste tipo, escreve o “Welt am Sonntag”, citando membros do governo”, esclarece o FAZ. 

“A solução até agora adoptada de resgatar Estados aflitos com pacotes de ajuda multimilionários está a chegar aos limites,” acrescenta o influente jornal de Frankfurt, conotado com os meios de negócios alemães.

MRA Alliance

Leave a Reply