Telefónica/PT: Vivo foi “subavaliada” e analistas falam em 8 mil milhões

“A Telefónica tem consistentemente subavaliado o valor intrínseco da Vivo”, escreve Zeinal Bava num e-mail citado pela Bloomberg, onde acrescenta que “quando a Telefónica fala sobre sinergias, eles estão usando estimativas de mercado, e não as deles próprios.”

O valor da Vivo “O valor de um activo com o potencial de crescimento futuro da Vivo não pode ser medido apenas através de um critério meramente financeiro (…) é também um valor estratégico, e é assim que tem que ser equacionado”, sustenta o CEO da PT.

As declarações surgem num dia em que várias casas de investimento anteciparam uma nova revisão em alta do preço da oferta. Para assegurar o sucesso da operação, diz o espanhol BBVA, “a actual oferta tem ainda que ser melhorada para ganhar o apoio da administração da PT”. O banco diz que a Telefónica poderá subir a oferta para sete mil milhões de euros.

Já os analistas do JPMorgan esperam que a Telefónica “aumente modestamente a oferta para assegurar o sucesso da operação até 30 de Junho”, dia da assembleia-geral, para 7,3 mil milhões de euros.

O Citigroup acredita que o valor da oferta pode chegar aos 7,5 mil milhões enquanto que para o Banif “um valor justo das potenciais sinergias devem levar a Telefónica a um aumento de preço entre 7,5 mil milhões e 8,2 mil milhões de euros”.

A Telefónica aumentou na semana passada a sua oferta inicial, de 5,7 milhões para 6,5 mil milhões de euros. A intenção é assumir 100% da Brasilcel, a ‘holding’ que controla a maior operadora da América Latina.

O conselho de administração presidido por Zeinal Bava rejeitou imediatamente a primeira oferta, mas preferiu convocar uma assembleia – como desejava a Telefónica – para que os accionistas possam pronunciar-se.

Na sessão bolsista de hoje, ao princípio da tarde, as acções da Portugal Telecom perdiam 0,77% para 8,38 euros, enquanto que os papéis da Telefónica desvalorizavam 0,83% para 14,91 euros.

MRA Alliance/DE

Leave a Reply