TAP: Governo diz que privatização não é urgente

O ministro da Obras Públicas, Transportes e Telecomunicações, António Mendonça, afastou hoje a urgência de privatizar a TAP noticiada pelo diário i.  O jornal referiu que, numa carta enviada pelo ministério de António Mendonça, em resposta a questões colocadas pelo Bloco de Esquerda sobre uma possível privatização da TAP, se afirma que a transportadora aérea poderá não respeitar compromissos caso tenha de fazer face a uma nova crise internacional e sectorial.

A TAP tem de se recapitalizar de forma “urgente” antes que surja uma nova crise, já que o Governo considera que ela não irá sobreviver se voltar a ocorrer alguma como a da subida do preço do petróleo, de 2008, ou como a da queda da procura, de 2009, diz ainda o jornal “i”.

O ministro da tutela, num encontro realizado esta tarde com jornalistas, referiu que a notícia avançada pelo jornal “i” “é perfeitamente alarmista”. O governante sublinhou que a companhia aérea de bandeira “é perfeitamente sustentável e tem registado uma performance notável e que tem tido uma capacidade de resistência a todas as situações de crise”.

António Mendonça reiterou que a privatização da TAP está no Programa de Estabilidade e Crescimento do governo. No entanto, acrescentou o governante, não existe nenhuma data para que esta seja concretizada. “A carta foi em resposta às questões do Bloco de Esquerda e não quer dizer que haja necessidade de privatizar já”, afirmou.

MRA Alliance/JdN

Leave a Reply