Portugal: Um em cada dez sobreendividados tem mais de dez créditos

Uma em cada dez famílias sobreendividadas, acompanhadas pela Associação Portuguesa de Defesa do Consumidor (Deco), tem mais de dez créditos. O desemprego é a principal causa das dificuldades. Este é um cenário negro na véspera do Dia do Consumidor, que assinala amanhã.

De acordo com os dados do Gabinete de Apoio ao Sobre endividado da DECO, citados pela Lusa, cada família sobreendividada tem, em média, 5,4 créditos.

A maior percentagem (38,5 por cento) tem entre quatro e sete créditos. Já 36,6 por cento dos indivíduos em análise têm entre um e três créditos e 14,3 por cento entre oito e dez créditos. 10,6 por cento tem mais de 10 créditos.

Desde o início do ano deram entrada no gabinete de apoio a DECO 502 processos: 227 em Janeiro e 275 em Fevereiro. No ano passado, e no mesmo período, tinham dado entrada 493 processos.

A principal causa das dificuldades das famílias sobreendividadas é o desemprego (36,4 por cento), seguida de doença (19,5 por cento) e a deterioração das condições laborais (17,5 por cento).

O divórcio ou a separação são responsáveis por 8,7 por cento das dificuldades, assim como o agravamento do custo de crédito (5,5 por cento) e a morte de um elemento do agregado familiar (2,2 por cento).

Estes são dados justificados, em grande parte, pela crise que Jorge Morgado, presidente da DECO, em entrevista à Lusa classificou como «chaga social».

«É fundamental que a experiência da família vá no sentido da educação financeira», aconselhou Morgado.

MRA Alliance/Agência Financeira

Leave a Reply