Portugal e Espanha ainda podem evitar pedir ajuda finaceira à UE

O Comissário Europeu dos Assuntos Económicos disse hoje que Portugal e Espanha podem ainda evitar pedir um empréstimo à UE. “O importante é que as forças políticas [de Portugal] consigam atingir o objectivo de redução rápida do défice público combinado entre a Comissão [Europeia] e o Governo há algumas semanas”, afirmou Olli Rehn à televisão finlandesa.

Segundo Rehn, a execução das reformas necessárias vai permitir a Portugal “continuar no caminho da consolidação das suas finanças públicas”. Com um primeiro-ministro demissionário e sem Governo antes do final de Maio, Portugal tem de pagar 4,2 mil milhões de euros de dívida antes do fim de maio e 4,9 mil milhões de euros a 15 de Junho.

Portugal é considerado pelos mercados financeiros como o próximo candidato a um apoio financeiro da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional, depois da Grécia e da Irlanda.

Quanto a Espanha, Rehn disse que o peso da sua dívida foi “inferior à média da UE”. “Além disso, a Espanha começou a tomar no ano passado medidas decisivas para equilibrar as despesas públicas, adoptar reformas estruturais no sistema de pensões e do mercado de trabalho bem como, e isto é muito importante, do seu próprio sistema de poupança”, disse. Para Rehn, essas medidas devem permitir que a Espanha saia da crise.

MRA Alliance

Leave a Reply