Portugal: Crédito a particulares cai para mínimo histórico

O crédito bancário aos particulares somava, no final de Abril, 133,3 mil milhões de euros, uma subida de apenas 1,9% face ao mês homólogo de 2008. Foi o ritmo de crescimento mais fraco desde que o Banco de Portugal iniciou os seus registos mensais de crédito, em Dezembro de 1997, noticia hoje o jornal Oje. 

O crescimento do crédito às famílias soma agora 17 meses consecutivos de abrandamento e está com taxas a um dígito desde que a crise financeira estalou nos EUA, em 2007. No final de Abril, o saldo dos empréstimos das instituições financeiras a particulares somava 133,3 mil milhões de euros, reporta o banco central no  Boletim Estatístico de Junho.

O saldo do crédito de cobrança duvidosa a particulares ascendia a 3,39 mil milhões de euros correspondendo a 2,5% do crédito total. O valor é semelhante ao registado em Março e é o mais alto dos últimos 12 meses. Em um ano, o crédito de cobrança duvidosa aumentou 34%, de 2,52 para 3,38 mil milhões de euros.

Os empréstimos para a compra de habitação subiram 1,9%, para 105,5 mil milhões de euros, representando 79% do total do crédito bancário aos particulares. O crédito mal-parado na habitação subiu 1,65 % para 1,75 mil milhões de euros. O crédito ao consumo cresceu 4,48%, para 15,4 mil milhões de euros. O mal parado  atingiu os 5,89% e subiu para 910 milhões.

MRA Alliance/Oje

Leave a Reply