Participação lusa no megafundo europeu pode atingir 13.627 milhões

Portugal poderá ter de contribuir com 13.627 milhões de euros para o megafundo europeu, caso o Comité Económico e Financeiro europeu aprove um aumento da participação dos países para 120 por cento, disse hoje Teixeira dos Santos.

De acordo com o ministro das Finanças, que falava no Parlamento, na audição na Comissão de Orçamento e Finanças, Comité Económico e Financeiro europeu está reunido em Malta, e está mesmo a equacionar o aumento da participação de cada país, com o objetivo de permitir que as obrigações emitidas pelos Estados tenham a melhor notação de risco, ou seja AAA.

Teixeira dos Santos afirmou que, na reunião de Malta está presente um representante do Governo português.

Assim, apesar de na programação inicial o Estado poder “ser chamado a conceder garantias até ao montante de 11.355 milhões de euros”, com estas alterações, que o ministro diz ter tido conhecimento através do representante português na reunião, ainda hoje, “o potencial de garantias a conceder por Portugal poderia ascender a 13.627 milhões de euros”.

Esta, aliás, é a justificação ministro para pedir já uma alteração legislativa ao Orçamento do Estado, um orçamento rectificativo.

Teixeira dos Santos adiantou ainda na sua intervenção inicial na Comissão de Orçamento e Finanças, onde apresenta o novo pacote de austeridade aos deputados, que os Estados membros que participarem no mecanismo irão prestar garantias para que sejam emitidas obrigações, correspondente à sua quota parte no Banco Central Europeu.

MRA Alliance/Agências

Leave a Reply