Ceará: um local excelente para segunda moradia na idade madura

Conheci o Ceará há mais de dez anos e assisti ao desenvolvimento incrível de Fortaleza neste hiato de tempo.

Sempre me seduziu o fabuloso clima do Ceará, com aquele ventinho incomparável e a água das praias quente todo a ano.

A moldura humana da cidade, essa é fabulosa, com um sorriso permanente e uma hospitalidade que, sendo tradicional, tem melhorado todos os anos.

Tudo o que era chocante há dez ou doze anos – as toalhas sujas dos restaurantes, a pedofilia descarada na Beira Mar – desapareceu. E a cidadezinha de pequenos prédios vai-se transformando numa grande cidade com arquitectura moderna, que alia o conforto ao bom gosto.

Fortaleza é uma cidade em que dá gosto viver e onde é relativamente fácil encontrar o espaço com que cada um sonhou, a preços incomparavelmente mais baixos do que o de que qualquer pequena cidade da Europa.

Especialmente interessante para um europeu é o sistema dos flats. Com o dinheiro de título de time-sharing de uma semana em qualquer boa unidade turistica de Portugal pode comprar um pequeno apartamento integrado numa unidade hoteleira. E tanto pode colocar esse apartamento na «pool» que os explora sob uma marca como pode usá-lo pagando o condomínio e beneficiando, em sua casa, de um serviço hoteleiro.

Este modelo é especialmente interessante para aquele grupo, cada vez mais numeroso, de europeus que se reformam com saude e querem continuar a viver numa cidade, com calma, conforto e qualidade de vida.

Viver num hotel, onde todos os dias os serviços procedem às rotinas comuns nas unidades hoteleiras mas beneficiando da comodidade de um apartamento com uma sala e uma kitchnete, ter um manobrista que arruma o carro na garagem, ter serviços médicos de próximidade é quase tudo o que alguém com hábitos urbanos pode aspirar na idade da retirada.

Mas, para além disso, esta cidade continua a ter preços especialmente moderados, por comparação aos europeus com produtos de qualidade, alguns dos quais nos fazem crescer água na boca.

As pequenas lagostas, que nos habituamos a ver nos postais do Ceará, compram-se aqui mesmo à frente do Mercure, um flat hotel em que me instalei nestes dias passados em Fortaleza, a 20 reais o quilo (cerca de 7 €) e podem ser preparadas em casa, a nosso gosto. Nas praias, os vendedores abrem ostras fresquíssimas enquanto recebemos a maresia debaixo de um guarda-sol.

Se optar por um apartamento alto e situado a nascente nem sequer precisa de ar condicionado, porque o vento o substitui com dignidade.Fortaleza - Beira Mar

Nestes tempos de crise seria boa ideia que os países europeus pensassem em atribuir títulos de créditos de carbono aos cidadãos da idade madura que optassem por viver os meses de inverno nestas paragens, poupando energia como pode poupar quem está dependente do aquecimento no inverno.

Para além de poupar energia, a mudança de ares faz bem à saude e o sol, como é do senso comum, é melhor que a chuva e o mau tempo. Ora, aqui há sol todo o ano, com temperaturas que são superiores aos 25 graus mesmo nos meses do (inexistente) inverno.

Para os portugueses, Fortaleza tem a vantagem de ser perto. São seis horas a partir de Lisboa, em voos diários da TAP, a partir de Lisboa. Sai-se daqui à noite e chega-se de manhã à Portela sem se dar por isso.

Experimentem e tenho a certeza de que ficarão tentados a pensar no futuro e a procurar aqui um recanto confortável

Miguel Reis

Algumas propostas de negócio apresentadas pelo corrector Jorge Smith (01/08/2007)

Leave a Reply