ONU: Portugal quer duplicar ZEE e concretizar “Descobrimentos do Séc. XXI”

Portugal entrega hoje nas Nações Unidas (ONU) a proposta para que a Zona Económica Exclusiva (ZEE) passe dos actuais 1800 milhões de quilómetros quadrados para os 3,6 milhões abrindo um procedimento cuja decisão final só deverá ser tomada, no mínimo, dentro de quatro anos.O secretário de Estado da Defesa e dos Assuntos do Mar, João Mira Gomes, afirmou á agência Lusa que a iniciativa do governo pode ser entendida como “os descobrimentos do século XXI”.

Nos últimos 4 anos, a Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental realizou a proposta a entregar na ONU e que pretende a duplicação da ZEE portuguesa. Para que a ONU “aceite a proposta portuguesa, o projecto tem de provar que existe uma continuidade geológica entre a nossa plataforma actual e o resto, encontrar denominadores e composições comuns através das amostras”, disse à Lusa o secretário de Estado.

“A energia é um dos aspectos essenciais, não só as energias fósseis, como o petróleo ou o gás, mas também os minérios e moléculas que podem ser utilizadas na indústria farmacêutica. Tudo isto são áreas que existem (no espaço marítimo nacional) embora não saibamos ainda toda a sua dimensão e todo o seu valor, apesar de sabermos que nos dias de hoje estes são sectores muito importantes”, disse Mira Gomes. Outra situação avaliada com aquele aumento é a possibilidade de se iniciar “o armazenamento no fundo do mar de dióxido de carbono na atmosfera”.

MRA Alliance/Agências 

Leave a Reply