ONU: Bloco europeu defende sanções do Conselho de Segurança contra a Síria

O bloco europeu no Conselho de Segurança, que inclui Portugal, vai apresentar uma resolução no órgão de segurança das Nações Unidas prevendo sanções contra o regime do Presidente sírio Bashar al-Assad.

O anúncio foi feito esta quinta-feira pelos representantes das missões de Portugal, Reino Unido, Alemanha e França, após um briefing ao Conselho de Segurança da Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Navi Pillay, que deu conta de “violações humanitárias generalizadas e sistemáticas” cometidas pelo regime sírio contra a população.

João Maria Cabral, “número dois” da missão de Portugal, manifestou o apoio do país a uma resolução “com medidas concretas dirigidas directamente aos responsáveis pela violência contra a população”.

“O Conselho de Segurança deve estar pronto para novas acções”, defendeu na conferência de imprensa com os seus homólogos europeus e norte-americana, Rosemary diCarlo.

“É altura de Conselho apresentar novas acções, para aumentar a pressão sobre os responsáveis pela violência. Vamos discutir uma resolução com os nossos colegas nos próximos dias”, disse o “número dois” da missão britânica, Philip Parham.

Parham reiterou a exigência de que o regime sírio acabe com a “violência e assassínios”, liberte os detidos e permita acesso humanitário e dos «media» ao país, em cooperação com o gabinete da Alto Comissária para os Direitos Humanos, mas sublinhou que existe um “hiato muito grande” entre as promessas de reforma que têm chegado de Damasco e acções concretas.

MRA Alliance/JN

Leave a Reply