Moody’s aponta fragilidades da banca portuguesa e europeia

A agência de notação financeira refere que o eventual chumbo nos testes de resistência não deverão implicar cortes de ‘rating’. Numa nota enviada hoje à imprensa, a Moody’s refere que dos 91 bancos europeus que irão submeter-se aos próximos testes de ‘stress’ pela autoridade europeia do sector bancário, e que serão divulgados já este mês, “26 têm um elevado risco de necessitarem de um apoio externo extraordinário, como é indicado pelo seu ‘rating’ de ‘non investment grade [carácter especulativo]'”.

Os quatro bancos nacionais avaliados pela Moody’s e que irão submeter-se aos testes de esforço estão todos nestas condições: BES, BPI e Caixa Geral de Depósitos apresentam um ‘bank financial strength’ de “D+” e estão em revisão para um possível novo corte. O BCP está numa situação mais delicada, apresentado um ‘bank financial strength’ de “D” (um nível abaixo do ‘rating’ de “D+”) e também em revisão para um possível ‘downgrade’.

Além dos quatro bancos portugueses na lista de possíveis “chumbos” deverá ainda figurar quatro bancos gregos, actualmente com um ‘bank financial strength’ de “E” (quatro níveis abaixo de “D+”), os irlandeses Bank of Ireland e Allied Irish Bank, quatro instituições alemãs, duas italianas, três espanholas e uma série de bancos de outras nacionalidades.

MRA Alliance/DE

Leave a Reply