Moldávia: Eleições ganhas por comunistas geram recontagem dos votos

O Presidente da Moldávia, Vladimir Voronine, pediu ao Tribunal Constitucional a recontagem dos votos das eleições legislativas que deram uma vitória ao Partido Comunista com quase 50% dos votos. Os moldavos continuam a contestar nas ruas os resultados eleitorais de 5 de Abril considerando-os fraudulentos.

“Dirigi-me ao Tribunal Constitucional solicitando uma recontagem total e transparente dos votos nas eleições de 5 de Abril”, declarou Voronine, destacado militante comunista, de origem étnica romena, eleito democraticamente em 2001.

A oposição denuncia o processo eleitoral por alegadas fraudes nos cadernos eleitorais. “É uma farsa de Voronine para manipular a opinião pública. Ele pede uma recontagem dos votos, sabendo que as eleições foram falsificadas (…) no momento da elaboração das listas eleitorais”, acusou Serafim Urechean, líder da coligação oposicionista “Nossa Moldávia”.

Os observadores europeus que fiscalizaram o acto eleitoral consideraram que, globalmente, as eleições decorreram de acordo com as regras internacionais.

Voronine voltou a acusar a Roménia de estar por detrás da forte contestação popular aos resultados eleitorais. “O que nós sabemos hoje constitui já uma base de prova” do envolvimento das autoridades de Bucareste nas actividades da oposição que na sua opinião pretende levar a cabo um “golpe de Estado”.

O regime de Bucareste é acusado formalmente de organizar o envio de agitadores para Chisinau, capital da Moldávia, para desestabilizarem a situação interna na ex-república soviética, independente desde 1991. 

Como retaliação Chisinau expulsou o embaixador romeno e impôs vistos para controlo dos movimentos fronteiriços com a Roménia.

MRA Alliance/Agências

Leave a Reply