Medvedev “satisfeito” com decisão dos EUA relativamente ao não alargamento da NATO

A Rússia está “satisfeita” com a decisão dos Estados Unidos de renunciar à concessão do estatuto de candidato oficial de adesão à NATO para Geórgia e Ucrânia, declarou hoje o presidente russo Dmitri Medvedev, em Havana, durante a visita oficial que realiza a Cuba.

“Estou satisfeito por a razão ter prevalecido”, declarou Medvedev, citado pela agência Ria-Novosti, ao mesmo tempo que lamentou os acontecimentos que marcaram “o fim de actividade da actual administração norte-americana”. “O mais importante é que não se fará mais avançar esta ideia obstinada e absurda, como era o caso há alguns anos”, sublinhou o presidente russo, na última etapa do seu périplo latino-americano.

A secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, anuncira na quarta-feira que não vai insistir na concessão à Geórgia e à Ucrânia do estatuto de candidato oficial de adesão à NATO, principal ponto na ordem de trabalhos de uma reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros da Aliança a 02 e 03 de Dezembro, em Bruxelas.

Em contrapartida, Rice preconizou transformar “a comissão NATO-Geórgia e a comissão NATO-Ucrânia” em “estruturas no seio das quais se pode intensificar o diálogo e as actividades” com os dois países.

Durante a cimeira da NATO, realizada em Março em Bucareste, os 26 países-membros da OTAN não chegaram a um entendimento sobre o Plano de acção tendo em vista a adesão à Aliança Atlântica (MAP) de Kiev e Tbilissi.

Os Estados Unidos e a maior parte dos países da Europa central desejavam a adesão de Geórgia e Ucrânia, ao contrário da Alemanha e da França, preocupadas com a posição da Rússia, hostil à esta perspectiva.

Os líderes aliados reconheceram que a Geórgia e a Ucrânia têm vocação para um dia entrar na NATO e concordaram que a questão do MAP seria alvo de uma “primeira reavaliação” em Dezembro.

MRA Dep. Data Mining

Leave a Reply