Juros a cinco anos tocam novo máximo nos 8,09%

juros12.jpgOs juros da dívida portuguesa a cinco anos voltaram esta terça-feira a registar um novo máximo histórico nos 8,09%, na véspera do Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC) ser debatido no Parlamento e a poucos dias da realização da cimeira europeia.

Esta subida «imparável» dos juros da dívida está relacionada com a iminência de uma crise política, depois de os partidos da oposição terem avisado que deverão chumbar o PEC IV, que vai esta quarta-feira a votos na Assembleia da República. A taxa de juro das Obrigações do Tesouro (OT) a cinco anos segue a negociar nos 8,07%, mas às 13h33 chegou a tocar os 8,09%, o valor mais elevado desde a entrada no euro.

A «yield» destes títulos ultrapassa, assim, o último recorde, que tinha sido fixado na passada sexta-feira nos 8,037%, de acordo com dados da Reuters. Nas restantes maturidades a tendência é semelhante. Os juros das OT a 10 anos avançam para os 7,63%.

O spread, ou seja, a diferença entre o que os investidores cobram para adquirir dívida nacional em detrimento da alemã, que é a que serve de referência, está nos 436,5 pontos base, sendo que os mercados exigem 3,24% de juros na aquisição de títulos alemães.

Na Irlanda e na Grécia, os juros das OT a 10 anos chegaram hoje a subir para os 9,91% e 12,86%, respectivamente.

MRA Alliance/AF

Leave a Reply