Japão/sismo: Mortos e desaparecidos ultrapassam 20 mil; Radiações nucleares contaminam comida e água

O sismo e tsunami que atingiram o nordeste do Japão a 11 de março fizeram 8.133 mortos e 12.272 desaparecidos, segundo um novo balanço provisório da polícia nacional japonesa revelado hoje. “Vamos precisar de sítios onde guardar mais de 15 mil corpos”, disse o chefe da polícia da prefeitura de Miyagi, uma das mais afetadas pela catástrofe, citado pela agência Jiji.

O sismo de magnitude 9,0 na escala de Richter, é o mais potente registado no Japão, dando origem a um tsunami que devastou toda a região de Miyagi. As catástrofes naturais de dia 11 são as mais mortíferas registadas no Japão desde 1923, quando um sismo abalou a região de Kanto, que engloba Tóquio, e que fez 142.000 mortos.

Entretanto, as autoridades japonesas registaram níveis de radiação superiores ao normal em espinafres e leite de quintas próximas da central nuclear de Fukushima. Os investigadores avançam que apesar de os níveis registados serem baixos já estão acima dos limites de segurança governamentais. Também a água canalizada de Tóquio e regiões próximas da província de Fukushima registaram níveis de iodo radioactivo. Por essa razão, o Governo japonês desaconselhou a população que reside nessas zonas a beber água da torneira.

Apesar das más notícias, este domingo a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) afirmou que houve uma evolução positiva na Fukushima central, embora a situação seja considerada grave.

MRA Alliance/Agências

Leave a Reply