Israel: Olmert demite-se após eleições partidárias em Setembro

O primeiro-ministro de Israel Ehud Olmert, actualmente sob investigação por suspeita de envolvimento num alegado caso de corrupção, anunciou ontem num discurso televisionado que se demitirá logo que o partido Kadima escolha o seu sucessor. As eleições partidárias, estão marcadas para final de Setembro. As consequências imediatas do anúncio são a paralisação das negociações de paz Israel-Autoridade Palestiniana e entre Israel e a Síria, mediadas pela Turquia. A saída de cena de Olmert poderá ser o golpe de morte na tentativa do líder hebraico e do presidente George W. Bush, de conseguirem a celebração de acordos de paz israelo-árabes antes de abandonarem os respectivos cargos. Os opositores de Olmert, dentro e fora da maioria parlamentar que apoia o governo, questionam crescentemente a sua legitimidade para fazer concessões históricas a Israel, semelhantes ao que classificam de “humilhante acordo” celebrado com os xiítas libaneses do Hezbollah para a troca de prisioneiros e reféns, realizada há poucas semanas. O chefe do executivo israelita reafirmou no discurso o seu empenhamento no processo de paz mas reconheceu ter perdido margem de manobra negocial desde o início das investigações sobre alegados crimes de suborno, fraude e abuso de confiança, durante os anos em que foi presidente da câmara de Jerusalém e ministro. “A presente campanha de difamação – disse Olmert que inclui pessoas seriamente convencidas das virtudes do Estado e da sua imagem, levantam uma questão que eu não posso ignorar: O que é mais importante? A minha própria defesa ou o bem público?” MRA/Agências

Leave a Reply