Guiné-Bissau: Atentado mata líder militar e gera instabilidade

General Tagme Na WaiéO chefe de Estado-Maior General das Forças Armadas da Guiné-Bissau, general Tagmé Na Waié, morreu ontem à noite na sequência de um atentado à bomba contra as instalações daquela estrutura militar. A informação foi confirmada à Lusa pelo ministro da Defesa da Guiné-Bissau, Artur Silva.

O ministro da Defesa da Guiné-Bissau não adiantou outras informações sobre a morte do general.

Está marcada para hoje uma reunião de emergência convocada pelo governo.

Tiros e explosões de “rockets” têm sido ouvidos durante a madrugada em Bissau.

Fontes contactadas pela Agência Lusa, localizam os sons dos tiros e das explosões junto à residência do Presidente e da Presidência da República, em zonas distintas do centro de Bissau.

Nas últimas horas, a segurança da presidência foi reforçada.

Antes de ser conhecida por fontes não-oficiais a notícia da morte de Tagmé Na Waié, o porta-voz do CEMFA, comandante Arsénio Baldé, admitia “não ter ordens para falar sobre o assunto”, enquanto a Polícia encerrava todas as ruas de Bissau que dão acesso ao quartel-general.

Os militares, por seu lado, sem darem explicações, mandaram encerrar a rádio privada Bonbolom, alegando questões de segurança relacionadas com os jornalistas que estavam a relatar a explosão.

O atentado contra a zona de escritórios do quartel-general CEMFA da Guiné-Bissau, , cuja autoria não foi reivindicada,  também terá provocado alguns feridos.

MRA Alliance/Lusa

Leave a Reply