Grécia: Tensão aumenta com juro a 2 anos nos 25%

O dia está a ser marcado por novos máximos na era euro dos juros da Grécia e de Portugal no mercado secundário, perante o fantasma da reestruturação da dívida helénica e as preocupações sobre a posição da Finlândia no que toca ao resgate português.

No caso de Atenas, o destaque vai para a taxa a dois anos, que atingiu hoje pela primeira vez a barreira dos 25%, segundo dados da Bloomberg. No mesmo sentido, a ‘yield’ a 10 anos bateu um novo recorde nos 15,529%.

Também os juros de Portugal estão hoje a subir em praticamente todos os prazos. Apenas as taxas a 3 e 5 anos descem hoje.

O juro das obrigações do Tesouro (OT) a 2 anos sobe até aos 11,857%, estando três vezes acima do valor registado há um ano. É um máximo desde pelo menos a adesão ao euro, em 1999.

A ‘yield’ das OT a 10 anos bateu hoje igualmente um recorde nos 9,706%.

A subida dos juros portugueses e gregos surge um dia depois de um relatório de Bruxelas ter mostrado que Irlanda, Grécia, Espanha e Portugal apresentaram os défices mais elevados da zona euro em 2010.

“O facto de os défices terem ficado acima das previsões aumentou as preocupações sobre se [os países] conseguirão consolidar as contas públicas no médio prazo e, consequentemente, os investidores estão a pedir um prémio mais elevado para comprar títulos de dívida daqueles governos”, comentava Nick Stamenkovic, estratega na RIA Capital, à Bloomberg.

MRA Alliance/DE

Leave a Reply