“Face Oculta” obriga presidente a suspender funções na REN

Penedos com advogados de defesa à saída do tribunalJosé Penedos está indiciado pela prática de um crime de corrupção passiva e foi suspenso da presidência da empresa Redes Eléctricas Nacionais (REN) por ordem do juiz de instrução do processo Face Oculta.

O arguido voltou ontem a ser ouvido em Aveiro e o magistrado determinou o pagamento de uma caução de 40 mil euros para que gestor do Partido Socialista (PS) continue em liberdade.

Rui Patrício, um dos advogados de defesa de José Penedos, anunciou que o seu cliente pretende recorrer das medidas de coação aplicadas pelo juiz, que incluem ainda a interdição de contactar com funcionários da REN e com os outros arguidos, excepto o seu filho Paulo Penedos.

À saída, José Penedos afirmou que só se pronunciará “no fim do processo”. José Manuel Galvão Teles, também advogado do arguido, leu uma declaração aos jornalistas considerando que a decisão do juiz de instrução é “ofensiva do Direito” e “contrária aos mais elementares princípios do Direito”. “Disse e mantenho que sempre defendi um homem inocente”, acrescentou.

A decisão de obrigar José Penedos a suspender funções surge dois dias depois de se conhecer um relatório de auditoria interna produzido pela consultora Deloitte, que não identificou práticas criminosas nas relações da REN com as empresas de Manuel Godinho. Este empresário de Ovar é o principal arguido no alegado caso de corrupção que envolve, entre outros, dirigentes de topo do PS, partido que lidera o actual governo minoritário chefiado por José Sócrates.

MRA Alliance/Diário de Aveiro

Leave a Reply