Eleições parlamentares no Quirguizistão podem terminar com instabilidade

Hu Jintao (China) com Bakiyev (Quirguizistão)As eleições parlamentares no Quirguizistão, independente da ex-União Soviética desde 1991, devem dar a vitória ao partido do actual presidente, Kurmanbek Bakiyev, na sequência da “Revolução das Túlipas”, em 2005. Os eleitores escolhem um novo primeiro-ministro numas eleições que podem colocar um ponto final em dois anos de agitação política. A Rússia, a China e vários países europeus estão preocupados com a instável situação política interna, receando que alastre aos países vizinhos. As eleições foram convocadas pelo presidente na sequência de uma reforma constitucional que a oposição classificou como um instrumento para um poder mais autoritário. Os apoiantes de Bakiyev defendem que a reforma torna o “sistema mais justo e democrático”.

Embora não possua petróleo nem gás natural, é um país rico em reservas minerais de carvão, ouro, urânio e antimónio (essencial para as indústrias electrónica (semicondutores), armamento (ligeiro e balas tracejantes), borracha, ligas metálicas (chumbo e estanho), cerâmica, e metais raros. A indústria metalúrgica é uma das mais importantes do pequeno país euroasiático. O governo definiu como prioridade atrair investimento directo estrangeiro para este sector, para a exploração de minas de outro e para o desenvolvimento dos importantes mas inexplorados recursos hídricos para a exportação de energia eléctrica. (pvc/agências russas e alemãs)

Leave a Reply