Economia portuguesa recuou fortemente em Janeiro

A actividade económica em Portugal voltou a cair fortemente em Janeiro. Os indicadores da actividade económica do INE mostram que as exportações cairam quase 20% e as importações recuaram 15%.

O momento é de retração do consumo privado e do investimento, sinal da falta de confiança dos consumidores e dos agentes económicos. Em Fevereiro, o indicador do clima económico continuou a cair registando mínimos históricos.

À margem da Comissão Parlamentar de Orçamento e Finanças, o ministro das Finanças,Teixeira dos Santos, deixou claro que não se arrepende da decisão de aumentar a função pública em 2,9%, apesar das críticas de vários economistas.

«Temos consciência da gravidade da crise internacional, das consequências graves que esta crise sobre a economia portuguesa, designadamente tendo em conta que estamos perante uma economia aberta, cujo nível de actividade depende muito da procura externa», sublinhou. Teixeira dos Santos admite que a conjuntura terá consequências negativas nas anteriores estimativas oficiais sobre o desemprego

«Os indicadores são de facto preocupantes que não podem de forma alguma ser ignorados e não pode ser ignorado o risco que isso representa em termos da evolução no mercado de trabalho, noemadamente em termos da situação de desemprego que é a matéria mais importante que temos pela frente», afirmou.

Ainda esta manhã, o INE referiu que a estimativa para o PIB, aponta para uma taxa de variação de menos de 1,8 por cento, no quarto trimestre devido à forte contracção nas exportações e no investimento.

Numa entrevista à rádio Europa, o presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, confirmou que 2009 vai ser um ano muito dificil, mas admite que é provável uma recuperação moderada da economia na Zona Euro, ainda em 2010. O banqueiro europeu admitiu  novas descidas nas taxas de juro.

MRA Alliance/Agências 

Leave a Reply