Cuba: Inesperada remodelação ministerial reforça poder dos militares

O presidente Raúl Castro substituiu hoje mais de uma dezena ministros e secretários estado com estatuto ministerial apeando do poder um conjunto de políticos ligados ao irmão Fidel por personalidades da sua confiança ligadas ao establishment militar cubano. Raúl Castro comandou as forças armadas de Cuba durante várias décadas. 

A mudança abrupta ocorre um ano após Fidel Castro ter renunciado aos cargos de liderança por motivos de saúde.

Analistas políticos não interpretam as mudanças como uma possível reaproximação imediata entre os governos cubano e norte-americano.

Carlos Lage, de 57 anos, aparentemente manteve o cargo de vice-presidente do Conselho de Estado, mas foi substituído como secretário do gabinete pelo general José Amado Ricardo Guerra, um oficial com uma longa carreira no Exército de Cuba durante décadas.

Lage tinha a reputação de ter salvo a economia cubana através de reformas económicas executadas após o colapso da União Soviética, em 1991.

A substituição mais surpreente para os observadores foi a do ministro dos Negócios Estrangeiros, Felipe Pérez Roque, de 43 anos, no cargo há dez anos. Pérez Roque, substituído pelo seu vice-ministro, Bruno Rodríguez Parrilla, foi líder da Juventude Comunista e secretário pessoal de Fidel Castro.

“Ele era alguém muito próximo a Fidel e que construiu a carreira trabalhando directamente com o líder”, afirmou Phil Peters, especialista em assuntos cubanos no Instituto Lexington, em Washington. “Todavia, isto não indica que seja uma reacção às mudanças na administração norte-americana”, opinou Peters.

José Luis Rodríguez García foi afastado do cargo de ministro da Economia e do Planeamento e também da vice-presidência do Conselho de Ministros. O seu substituto, Marino Murillo Jorge, ocupava o cargo de ministro do Comércio Interno.

O ministério da Indústria do Aço e da Mecânica passa a ser tutelado pelo general de brigada Salvador Cruz, que substitui Fernando Acosta no cargo.

O ministro do Trabalho, Alfredo Cartaya, também deixa o cargo.

Otto Rivero Torres saiu da vice-presidência do Conselho de Ministros, cuja coordenação e controlo ficarão com o vice-presidente de Governo, Ramiro Menéndez.  

Raúl de la Nuez Ramírez deixou o cargo de ministro do Comércio Exterior cedendo o posto a Rodrigo Malmiera Díaz.

Os ministérios do Comércio Exterior, Investimento Estrangeiro e Cooperação Económica, Indústria Pesqueira e Indústria Alimentar vão ser unificados, ficando sob a tutela de María de Carmen Concepción González.

Georgina Barreiro Fajardo foi afastada do cargo de ministra de Finanças que passará para a tutela de  Lina Pedraza Rodríguez.

As mudanças no gabinete ministerial anunciadas visam agilizar as tarefas do poder executivo, segundo comunicado emitido pelo Conselho de Estado de Cuba.

MRA Alliance/Agências

Leave a Reply