Crédito malparado continua a aumentar

As famílias e as empresas portuguesas estão com crescentes dificuldades para honrar os compromissos junto da banca, com o crédito malparado a voltar a crescer em Maio, de acordo com os dados do Banco de Portugal.

O peso do malparado das empresas, em Maio, ultrapassou os 5% em Maio (5,04%). No segmento dos particulares, o crédito em cobrança duvidosa na habitação cresceu em Maio 20 milhões de euros para um total de 1,99 mil milhões de euros, enquanto que, no consumo, o crédito malparado subiu 12 milhões de euros para 1,34 mil milhões de euros, um novo máximo histórico.

De acordo com o boletim estatístico do Banco de Portugal, mais de 3% dos empréstimos concedidos pela banca às famílias estão qualificados como “malparado”, o que corresponde a 4,3 mil milhões de euros. Já no crédito ao consumo, a situação agrava-se ainda mais com o malparado a ultrapassar a fasquia dos 8% (só na habitação a percentagem de incumprimento ainda está abaixo dos 2%).

Os cortes salariais, a subida de impostos e o aumento continuado do desemprego, resultantes do contexto económico adverso, levam os particulares a terem cada vez mais dificuldades em cumprir com os créditos contraídos junto da banca.

Por outro lado, os números divulgados pela entidade liderada por Carlos Costa demonstram que a banca continua a restringir a concessão de crédito. No total, em Maio, foram concedidos empréstimos no valor global de 4,86 mil milhões de euros aos particulares e às empresas, menos 7,61% do que no período homólogo em 2010 (menos 401 milhões de euros).

MRA Alliance

Leave a Reply