Comissão Europeia e BCE terão descoberto buraco nas contas públicas portuguesas

O jornal alemão Financial Times Deutschland (FTD) noticia hoje que a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu (BCE) descobriram um buraco de financiamento nas contas públicas portuguesas durante a deslocação efectuada a Lisboa há duas semanas.

O FTD não entra em detalhes, mas a ser verdade, o primeiro ministro José Sócrates, será hoje submetido a uma pressão reforçada dos restantes líderes dos países da zona euro, durante a cimeira que decorre em Bruxelas, para anunciar novas medidas de austeridade de modo a restaurar a confiança dos mercados financeiros.

O que acontece é que, face às medidas tomadas e às expectativas que a Comissão tem de andamento da economia e das receitas que o Governo pode obter com o quadro orçamental que encontraram, os técnicos que vieram a Lisboa encontraram uma discrepância face ao que seria expectável.

O Governo garantiu, no entanto, que não há qualquer buraco e que as contas públicas portuguesas são totalmente transparentes. A haver diferenças, diz, terão a ver com o quadro macro-económico subjacente às previsões de receitas e despesas, porque a Comissão Europeia e o BCE têm previsões para o crescimento da economia menos favoráveis que o Governo.

Sócrates disse ontem na Assembleia da República que o Governo “tudo fará para pôr rapidamente as contas públicas em ordem” e que vai assumir o compromisso junto dos parceiros do euro de assegurar “uma consolidação orçamental sem falhas” até 2013. Já hoje de manhã, o ministro das finanças anunciou medidas de austeridade adicionais que visam garantir um impacto positivo no défice deste ano da ordem dos 0,8 por cento do PIB.

MRA Alliance/Público

Leave a Reply