Archive for the ‘Espanha’ Category

Soares propõe criação de conselho de ministros ibérico

quarta-feira, junho 23rd, 2010

Mário SoaresPortugal e Espanha devem avançar para uma política mais iberista, realizando conselhos de ministros conjuntos defendeu Mário Soares, numa entrevista à Rádio Renascença. O ex-líder socialista salienta que juntos “somos mais de um décimo da humanidade” e que só assim “podemos discutir de igual para igual com Merkel ou Sarkozy” e “ganhar peso na Europa”.

Mário Soares disse ainda que discorda das medidas que têm sido implementadas pelo Governo Sócrates para fazer face à crise, que são um “ataque ao estado social” e acrescenta que, para além de “não resolverem o problema, vão conduzir a uma outra crise”.”É preciso é não gastar dinheiro mal gasto, não me venham dizer que não temos sustentabilidade para o estado social, e temos sustentabilidade, uns tantos portugueses para comprarem carros, aviões e iates de luxo”, contesta.

Soares diz que partilha da mesma opinião que as centrais sindicais. “O estado social é sustentável e economistas como Stiglitz e Krugman, que nem são socialistas, estão a fazer esses avisos: Ou mudamos de paradigma, ou a Europa vai entrar em grande decadência”, avisa.

MRA Alliance/DE

Zapatero reforça aliança estratégica da UE com Cabo Verde

terça-feira, junho 22nd, 2010

O primeiro ministro espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, reiterou hoje ao seu homólogo cabo-verdiano, José Maria Neves, a oferta para “reforçar a relação estratégica da UE com Cabo Verde”, disse à Lusa fonte do gabinete do governante espanhol.

A fonte explicou à Lusa que essa relação estratégica foi um dos temas dominantes do encontro de cerca de 45 minutos que os dois governantes mantiveram em Madrid, onde hoje chegou o primeiro ministro cabo-verdiano.

“Foi uma reunião muito cordial onde se analisaram vários temas do âmbito bilateral e do relacionamento de Cabo Verde com a Europa”, disse a fonte do gabinete de José Luis Rodríguez Zapatero.

“O presidente do Governo (espanhol) reiterou também o compromisso de Espanha para contribuir para que África Ocidental face frente às suas necessidades de desenvolvimento e integração regional”, explicou.

E Zapatero mostrou ainda interesse em Espanha e Cabo Verde “continuarem a trabalhar de forma conjunta na luta contra as ameaças como o narcotráfico e o crime organizado”.

Durante o encontro Zapatero reiterou a vontade de manter a cooperação bilateral com Cabo Verde, um “dos países prioritários para Espanha” tanto no âmbito do Plano Diretor de Cooperação 2009-2010 como no Plano África 2009-2010.

MRA Alliance/ionline

FMi desmente qualquer intervenção ou negociação para resgatar finanças espanholas

quinta-feira, junho 17th, 2010

O Fundo Monetário Internacional (FMI) desmentiu a preparação de qualquer intervenção ou negociação de um plano de ajuda a Espanha. A garantia foi dada hoje pelo porta-voz do FMI depois da imprensa diária espanhola ter garantido que estava a ser preparado um plano de liquidez que incluía uma linha de crédito de 250 milhões de euros.

O director do Fundo Monetário Internacional estará hoje em Madrid para uma reunião com o chefe do governo do país vizinho, José Luís Zapatero, mas sem ter na agenda do encontro qualquer negociação para um plano de ajuda a Espanha.

Depois da imprensa do país vizinho ter garantido esta manhã que estava a ser preparado um plano de liquidez que incluía uma linha de crédito de 250 milhões de euros, o porta-voz do FMI viu-se na obrigação de vir a público esclareceu a situação.

MRA Alliance/RTP

Juros descem e acções sobem com emissão de dívida espanhola

quinta-feira, junho 17th, 2010

As acções espanholas estão a subir mais de 1% e os juros da dívida espanhola estão a descer, depois de o Tesouro espanhol ter colocado 3,48 mil milhões de euros de dívida pública no mercado, atingindo o objectivo estabelecido, o que acalmou os mercados. Os juros das obrigações espanholas a dez anos descem 11 pontos base e a praça madrilena IBEX 30 avança 1,31% para 9.811,70 pontos, depois da colocação de obrigações no mercado, em que o país atingiu o objectivo máximo de financiamento definido para a emissão de hoje.

A Espanha realizou esta manhã duas emissões de dívida pública, colocando no mercado 3 mil milhões de euros em obrigações a 10 anos e 479,2 milhões de euros em obrigações a 30 anos. Espanha pagou um juro de 4,864% na emissão de obrigações a 10 anos, o que representa um aumento face juro de 4,045% pago numa emissão semelhante realizada a 20 de Maio.

A procura atingiu 5,65 mil milhões de euros, quase duplicando a oferta. Na emissão de 30 anos, Espanha pretendia colocar 500 milhões, mas vendeu apenas 479,2 milhões de euros. Isto apesar de a procura ter superado a oferta em mais de duas vezes. O juro pago nesta emissão de dívida a 30 anos foi de 5,908%, em linha com o juro praticado no mercado secundário.

“A forte procura de obrigações espanholas deve ajudar a restaurar a confiança”, disse o estratega da Société Générale, Ciaran O’Hagan à Bloomberg. “A boa procura só foi possível depois da descida das obrigações espanholas nos últimos dias”, lembrou o especialista.

O prémio que os investidores exigem para deter dívida espanhola em vez da alemão desceu para 209,4 pontos base depois da venda. Uma diferença inferior aos 221 pontos que atingiu ontem, ao registar um novo máximo da história da moeda única.

MRA Alliance/JdN

Espanha: Governo entre o ajustamento orçamental e a perda de credibilidade

quarta-feira, junho 16th, 2010

O Banco de Espanha exige medidas mais enérgicas para o país reentrar na via do crescimento económico estável. O governador da entidade, Miguel Ángel Ordóñez, diz que a economia está a retomar, mas com debilidade, atraso e incertezas.

No seu relatório anual, hoje divulgado, o banco central espanhol exige que se assegure o carácter temporal das medidas de curto prazo, como o subsídio de 420 euros para os desempregados, as ajudas do Plano 2000E para a compra de automóveis e o lançamento de algumas linhas adicionais de financiamento extraordinário do Instituto de Crédito Oficial (ICO), refere o “Expansión”.

“O seu prolongamento no tempo poderá gerar distorções na eficiente atribuição dos recursos ou até mesmo desincentivar a procura de emprego”, sublinhou Ordóñez, citado pelo mesmo jornal.

O governador do Banco de Espanha disse também que é “absolutamente imprescindível” que o governo cumpra o seu compromisso de acelerar o ajustamento orçamental para reduzir o défice, inclusive se o cenário económico for pior do que o previsto. Se assim não for, advertiu Ordóñez citado pelo “Cinco Días”, pode haver “graves consequências” para a credibilidade de Espanha nesta matéria.

MRA Alliance/JdN

Maioria dos bancos espanhóis não consegue emitir dívida

terça-feira, junho 15th, 2010

Francisco González, presidente do BBVA, alertou hoje para as dificuldades de financiamento das empresas e bancos em Espanha. O banqueiro, que falava em Santander, garantiu que os mercados de dívida internacionais estão fechados para a maioria das empresas e dos bancos espanhóis. As declarações do ‘chairman’ do BBVA, um dos maiores bancos de Espanha, aparecem num dia em que a imprensa alemã avança, mais uma vez, que Madrid se prepara para recorrer ao megafundo europeu, notícia já desmentida pela ministra da Economia espanhola.

É também neste clima que a bolsa espanhola cede hoje 0,33% num dia positivo entre os principais índices accionistas. Em 2010, o Ibex 35 acumula perdas de 20%.
Já o risco da dívida pública espanhola a 10 anos – medido pelo ‘spread’ face às ‘bunds’ alemãs comparáveis -, sobe hoje 10 pontos base para 198 pontos. No final de 2009 este indicador rondava os 59 pontos base.

MRA Alliance/DE

Bruxelas e Madrid negam resgate financeiro a Espanha com banca portuguesa em apuros

segunda-feira, junho 14th, 2010

A Comissão Europeia voltou hoje a classificar de “totalmente falsa” a notícia do jornal alemão “Frankfurter Allgemeine Zeitung” (FAZ), segundo a qual Espanha terá iniciado consultas com Bruxelas para desencadear o mecanismo europeu de estabilização financeira. Também Madrid nega o pedido de ajuda à comunidade internacional.

A notícia do FAZ surge no dia em que foi conhecido que a dívida da banca espanhola ao Banco Central Europeu (BCE) atingiu ou 85.618 milhões de euros em Maio, o valor mais elevado de sempre. Segundo dados do Banco de Espanha, este valor representa um aumento de 26% face ao mesmo mês em 2009 e um crescimento de 14,7% face a Abril deste ano.

O BCE tem-se assumido igualmente como a principal fonte de financiamento da banca portuguesa, substituindo o papel do mercado interbancário e das emissões de empréstimos a médio e longo prazo.
Os empréstimos feitos pelo BCE directamente à banca portuguesa atingiram em Abril o valor mais alto de sempre, ao elevarem-se a 17,7 mil milhões de euros.

“Não há plano algum para fornecer assistência a nenhum Estado-membro”, assegurou o porta-voz de Olli Rehn, comissário dos Assuntos Económicos, referindo-se à eventualidade de ser activado o fundo de 750 mil milhões de euros criado pela União Europeia, em parceria com o Fundo Monetário Internacional, para socorrer países do euro que, à semelhança da Grécia, se vejam impossibilitados de aceder aos mercados financeiros. Citado pelo “El País”, fonte do Ministério espanhol da Economia assegura também que a notícia do FAZ é “falsa”.

À semelhança do que publicou o “Financial Times Deutchland” na semana passada, a edição de hoje do FAZ escreve que a União Europeia está já a preparar um plano de resgate de Espanha, adiantando que as conversações informais se têm intensificado na sequência da dificuldade crescente enfrentada pelos bancos espanhóis em financiarem-se.
Bruxelas fala de especulação “retorcida” e aponta o dedo a Berlim. “Não há plano, não há pedido (de ajuda). É tudo pura especulação”, acrescentou hoje o mesmo porta-voz da Comissão Europeia, ao sublinhar a “estranheza” destas notícias virem sempre do mesmo país. “Parece que há gente que não compreende isto, em particular num Estado-membro, a Alemanha”.

O jornal alemão não cita ninguém em concreto, mas adianta que quer o presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, quer presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, são favoráveis a que se a Europa se mobilize para ajudar Espanha – que representa 12% do PIB da Zona Euro, muito mais do que os 2,5% da Grécia – a financiar-se, apoiando simultaneamente reformas estruturais dolorosas, designadamente para tornar mais flexível o mercado de trabalho.

MRA Alliance/JdN

Banco Mundial diz que a situação de Espanha é «muito grave»

quinta-feira, junho 10th, 2010

A situação económica de Espanha é «muito grave», afirmou na quinta-feira o director do departamento de tendências macroeconómicas do Banco Mundial, Andrew Burns.

O economista, em conferência de imprensa nos Estados Unidos, citado pelo «Bolsa Mania», referiu não acreditar que a Espanha passe por uma crise semelhante à da Grécia mas acrescentou que, se tal acontecer, terá consequências para a banca espanhola e, por arrasto, para toda a América Latina.

No entanto, citado pelo jornal espanhol «El Mundo», Burns admitiu como «provável» que as medidas de consolidação orçamental espanholas venham a reduzir o risco de deterioração da economia. Ainda assim, disse que a elevada taxa de desemprego e a fraca evolução «travam» uma opinião mais favorável sobre a economia do país vizinho, refere o «ABC».

MRA Alliance/Agências

Agências de ‘rating’ cortam classificações de bancos espanhóis

terça-feira, junho 1st, 2010

Banco Sabadell, Banco de Valencia, Bancaja e CAM. Foram as novas “vítimas” da Fitch. A agência que retirou a nota máxima à dívida pública espanhola no final da semana passada, baixou as notas de crédito daquelas instituições, levantando ainda maiores preocupações sobre o sector bancário do país vizinho.

Também a Standard & Poor’s alertou que poderia baixar a nota da dívida da Caja Madrid, uma das maiores ‘cajas de ahorro’ espanholas. Este sector está em crise, depois do banco de Espanha ter intervencionado a CajaSur e com as autoridades a quererem um processo de consolidação rápido entre as dezenas de ‘cajas’ que existem em Espanha.

Entre os argumentos das agências de ‘rating’ para justificarem os cortes na qualidade de dívida de entidades financeiras espanholas estão as débeis perspectivas de crescimento económico e o elevado nível do crédito malparado. Os investidores castigaram a bolsa espanhola, com o IBEX a cair, a meio da sessão, cerca de 3%.

MRA Alliance/DE

Pacote de austeridade espanhol aprovado à tangente

quinta-feira, maio 27th, 2010

O Parlamento espanhol aprovou o pacote de medidas de austeridade pela diferença mínima de um voto proposto pelo Governo Zapatero para reduzir o défice orçamental, por 169 votos favor, 168 contra e 13 abstenções. Assim, as medidas de austeridade de Espanha foram aprovadas à tangente, gerando uma onda de críticas e pedidos a Zapatero para que antecipe as eleições gerais.

Isto apesar de a ministra da Economia espanhola, Elena Salgado, se ter esforçado durante meia hora a convencer os grupos parlamentares da necessidade de aplicação das medidas de austeridade, semelhantes às que vão ser adoptadas na União Europeia. O plano de austeridade espanhol, no valor de 65 mil milhões, inclui o congelamento dos aumentos das pensões, cortes de 5% na função pública, fim do cheque-bebé e reduções de 1,2 mil milhões de euros no financiamento das regiões. O Executivo de Madrid anunciou ontem que revelará nas próximas semanas um novo imposto que apenas afectará “os cidadãos com alta capacidade económica”, sem revelar a fórmula para o cálculo desta taxa extra. A medida também está contemplada no pacote de austeridade.

MRA Alliance/Diário Económico

Juíz Garzón suspenso da Audiência Nacional

sexta-feira, maio 14th, 2010

Emocionado, com os olhos em lágrimas, Baltasar Garzón abandonou ao fim da manhã a Audiência Nacional após ter sido suspenso de funções ao estar pendente o seu julgamento por ter assumido competências que não tinha na investigação dos crimes do franquismo.

À saída do edifício, Garzón despediu-se com abraços de cada um dos 30 funcionários do 5º Juízo, e foi acompanhado pelos juizes Santiago Pedraz e Fernando Andreu e a procuradora antiterrorista Dolores Delgado.

“Torquemada vive”: numa folha A4, um dos funcionários de Baltasar Garzón lavrava o seu protesto. Uma referência a Tomás Torquemada, redactor do edito de Granada que em 1492 ordenou a proscrição dos judeus. “Garzón amigo, o povo está contigo” e “Garzón, Garzón” foram os gritos de dezenas de populares à saída do juiz. Este saudou-os de longe e entrou no carro oficial. Já sentado no veículo, começou a chorar.

Meia hora antes deste adeus emotivo, Baltasar Garzón foi informado da suspensão do Conselho Geral do Poder Judicial (CGPJ), o órgão de governo dos juízes de Espanha. Uma decisão por unanimidade, em cumprimento da lei orgânica do poder judicial segundo a qual um juiz à espera de julgamento tem de abandonar funções. A suspensão durará até à sentença.

As reacções foram díspares. As três associações de juízes consideram que a lei foi cumprida.

MRA Alliance/Público

Espanha: Desemprego deve atingir 19,4 por cento em 2010

terça-feira, março 30th, 2010

O Banco de Espanha divulgou as suas mais recentes previsões sobre a evolução da economia. No documento, estima-se que a taxa de desemprego atinja 19,4 por cento este ano e 19,7 por cento em 2011.

Os números são mais negros do que os do Governo de Zapatero, que previra uma taxa de desemprego de 19 e de 18,4 por cento, para 2010 e 2011, respectivamente.

Quanto à evolução do Produto Interno Bruto (PIB), o banco central espanhol prevê uma contracção de 0,4 por cento em 2010 e um crescimento de 0,8 por cento no ano seguinte.

MRA Alliance/Agências

Número de portugueses desempregados em Espanha subiu 500%

segunda-feira, fevereiro 1st, 2010

A taxa de desemprego entre trabalhadores portugueses a residir em Espanha subiu de 4,7% no final de 2007 para 21,89% no final de 2009, revelou o Instituto Nacional de Estatística (INE), em Madrid.

No final de 2009, havia um total de 14.100 portugueses desempregados em Espanha, num universo de 64.400 mil, de acordo com os dados do  INE espanhol. MRA Alliance/Diário Económico

Desemprego: Espanha afunda-se e Portugal vai atrás

sábado, janeiro 30th, 2010

O desemprego cresce em Portugal há 12 meses consecutivos, um cancro económico e social cujas mestástases chegam de Espanha, o nosso principal parceiro. O Eurostat diz que o desemprego espanhol, em Dezembro do ano passado, atingiu 19,5% enquanto em Portugal se fixou nos 10,4%. 

O economista Luís Bento prevê a continuação da subida do desemprego: “Em Espanha, o modelo de desenvolvimento assentou na construção civil e depois na área financeira com grandes grupos na América Latina e América do Sul. Como nas américas também se vive uma grave crise económica, com uma brutal queda das exportações, a Espanha sofre um duplo efeito da crise, por um lado, os milhares de fogos para vender e a paralisação nas obras, por outro, a quebra das receitas da América”.

Além disso, e tal como para Portugal, a recessão económica “levou à recomposição de grandes grupos empresariais, e novos processos de deslocalização na procura de melhores preços. As grandes empresas estão a fechar fábricas, e isso afecta os dois países, porque não surgem novas encomendas”, sublinhou.

Os números do desemprego no país vizinho afectam directamente Portugal. Basta recordar que, na Segurança Social espanhola, em Dezembro de 2009, estavam inscritos menos 10 mil portugueses do que em 2008 (eram 69 039 em 2008, e 58 870 em 2009).

Luís Bento lembra que, nos últimos anos, Espanha absorveu muitos dos desempregados portugueses na construção civil, “que agora estão desempregados”. Além disso, “afecta as PME, que têm menos encomendas”.

Nesse sentido, fez a decomposição dos números de desemprego em Espanha, por regiões, verificando-se que em algumas, todas no Sul, onde as relações de negócios são mais importantes, “têm desemprego acima dos 35%”, ao contrário da “Catalunha, onde o intercâmbio com Portugal é muito mais reduzido e o desemprego está abaixo da média. É talvez a região menos afectada, porque tem a sua economia assente numa indústria poderosa de produtos de valor acrescentado”.

MRA Alliance/Jornal de Notícias 

Cimeira Ibero-americana apoia inovação e justiça social e reprova crise hondurenha

quarta-feira, dezembro 2nd, 2009

A declaração final da XIX Cimeira Ibero-americana, que terminou ontem no Estoril, salienta o empenhamento dos chefes de Estado e de Governo dos países reunidos em “avançar em direcção a políticas públicas em matéria de inovação e conhecimento”, o tema central escolhido pela presidência portuguesa.

Políticas que, de acordo com o texto, “favoreçam a equidade, a inclusão, a diversidade, a coesão e a justiça social”, bem “como o pleno respeito pela igualdade de género”, e que contribuam “para superar as consequências da crise financeira e económica mundial”.

Os chefes de Estado e de Governo reunidos no Estoril, através de um comunicado especial, cujo conteúdo político foi excluído da Declaração de Lisboa por insanáveis divergências, reprovaram o golpe de estado nas Honduras e “condenaram as inaceitáveis e graves violações dos direitos e liberdades fundamentais do povo hondurenho”. “Neste contexto, consideramos que a restituição do Presidente José Manuel Zelaya ao cargo para o qual foi democraticamente eleito até completar o seu mandato constitucional é um passo fundamental para o retorno à normalidade constitucional”, refere o comunicado.

A Cimeira Ibero-americana de 2010 vai realizar-se na cidade de Mar del Plata, na Argentina, e será dedicada à Educação e Inclusão, anunciou a presidente daquele país, Cristina Kirchner, no final da reunião do Estoril.

MRA Alliance/Agências

Espanha: Desemprego atinge mais de 40% dos jovens

sexta-feira, outubro 30th, 2009

A Espanha é o país da Zona Euro com a taxa de desemprego mais elevada, sendo que os jovens estão a ser os mais afectados. De acordo com o Eurostat, mais de 40% dos espanhóis com menos de 25 anos não têm emprego.

A taxa de desemprego em Espanha subiu para 19,3% em Setembro, o nível mais elevado da Zona Euro e o segundo mais alto da União Europeia, só superado pela Letónia (19,7%).

Contudo, entre os jovens com menos de 25 anos, a Espanha apresenta o registo mais elevado (41,7%), mostrando que a economia do país continua incapaz de criar novos postos de trabalho devido à forte recessão que atravessa.

Enquanto várias economias da região apresentam já crescimento no terceiro trimestre, o PIB espanhol continua em queda. Entre Julho e Setembro sofreu uma contracção 0,4%.

Sozinha, a Espanha é responsável por cerca de metade do aumento do desemprego da Zona Euro, no último ano, com a taxa de desemprego a mais que duplicar no espaço de dois anos.

O FMI aponta para que a taxa de desemprego supere os 20% em 2010 e a própria ministra das Finanças estima que o desemprego vai continuar a subir no último trimestre deste ano.

Em Portugal a taxa de desemprego subiu para 9,2% em Setembro, afectando 18,6% dos jovens, o que representa um nível inferior ao registado na Zona Euro (20,1%).

MRA Alliance/Agências

Espanha: Megaprocesso de corrupção abala partido da oposição

quinta-feira, outubro 8th, 2009

O impacto das investigações do megaprocesso “Gurtel”, um dos maiores sobre corrupção em Espanha, já envolve 60 arguidos e continua a alastrar no seio do Partido Popular (PP), a maior força da oposição, liderado por Mariano Rajoy.

Em causa está uma rede de corrupção que alegadamente operava em várias zonas de Espanha, todas governadas pelo Partido Popular, a nível local e regional, e subornava líderes políticos para conseguir contratos milionários.

A dimensão do alegado envolvimento do PP agravou-se esta semana com o levantamento parcial do segredo de justiça do caso que, desde Fevereiro, já envolveu 17 dirigentes do PP.

O processo indicia 17 políticos relacionados com o PP, entre eles o presidente do Governo Regional de Valência, autarcas e outros líderes, os quais terão recebido 5,5 milhões de euros em subornos e “presentes”.

O sumário do processo agora público alega que os 17 políticos receberam dinheiro, carros, malas de marca, fatos e outros presentes, sendo que a maior quantia – mais de um milhão de euros – alegadamente, foi parar às mãos do tesoureiro do PP, Luis Bárcenas.

Rajoy, que tem denunciado manobras de “inquisição” dos socialistas, quebrou ontem o silêncio sobre o caso e garantiu que irá pedir responsabilidades “a quem não fez o que devia ter feito”.

MRA Alliance/Agências 

Media: Problemas financeiros empurram Prisa para vender TVI

sexta-feira, setembro 4th, 2009

O grupo espanhol Prisa, um dos maiores conglomerados de meios de comunicação ibero-latino-americano, necessita de uma injecção de capital de pelo menos 300 milhões de euros até Outubro, para responder à pressão financeira dos bancos que concederam à empresa um adiamento nos empréstimos actuais.

O portal espanhol El Confidencial, que cita fontes da empresa, refere que a Prisa está tentar vender parte dos seus activos, entre os quais a portuguesa TVI, numa altura em que a dívida total da empresa ultrapassa os cinco mil milhões de euros.

Os bancos credores da Prisa concederam em Maio um empréstimo de 1 950 milhões de euros, que se vence em Março de 2010, com “duras condições” que a empresa de comunicação espanhola deverá ter dificuldades em cumprir sem a alenação de património. 

MRA Alliance/Agências 

Espanha: Lucros da banca recuaram 12,1% até Junho

terça-feira, setembro 1st, 2009

Os grupos bancários espanhóis registaram no primeiro semestre deste ano lucros atribuídos de 8 551 milhões de euros, menos 12,1% que no período homólogo em 2008, revelou hoje a Associação Espanhola da Banca (AEB).

Em comunicado, a associação informa que o lucro líquido agregado dos bancos atingiu os 6 088 milhões de euros, menos 16,7% que há um ano.

A AEB destacou o facto dos bancos terem conseguido manter o componente das suas receitas o que, aliado a reduções de custos, permitiu “realizar no primeiro semestre um grande esforço em dotações para insolvências e provisões”. Os bancos destinaram 9 097 milhões de euros a operações de saneamento, mais 87% que há um ano.

Segundo os dados apurados pela AEB, em Junho, o crédito mal parado atingiu os 3,81%.

MRA Alliance/Agências 

PIB americano e espanhol voltaram a cair mostrando que recessão continua

quinta-feira, agosto 27th, 2009

Os dados mais recentes sobre o crescimento económico nos Estados Unidos e em Espanha confirmam que a recessão continua, com fortes contrações no consumo, emprego e investimento privado, representando más notícias para a economia portuguesa.

O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos contraiu-se a uma taxa anualizada de 1%, no segundo trimestre de 2009, indica a segunda leitura para o período Abril-Junho, indicam os dados divulgados hoje pelo Departamento do Comércio. Os números completam uma série de quatro trimestre consecutivos de crescimento negativo nos EUA.

Melhor do que o esperado pelos economistas, a evolução do PIB norte-americano mostra um abrandamento no ritmo da recessão. O produto decresceu 6,4% no primeiro trimestre. Analisando as componentes do produto, o consumo das famílias caiu 1%, o investimento das empresas 10,9% e as exportações recuaram cerca de 5%.

Em Espanha, a economia também encolheu mais 1,1% no segundo trimestre do ano, elevando para 4,2% a quebra do PIB do país em termos homólogos – a maior dos últimos 39 anos – revelou hoje o Instituto Nacional de Estatística espanhol. A mesma fonte justifica a quebra com o recuo de 7,3% na procura interna.

O INE espanhol acrescenta que, só no segundo trimestre do ano, o investimento no país tombou 17% em termos homólogos, o consumo doméstico recuou 5,9% e o emprego teve uma quebra de 7,1%, comparativamente a 2008.

MRA Alliance/Agências

Um em cada três espanhóis aprova união com Portugal

terça-feira, julho 28th, 2009

Um estudo da Universidade de Salamanca concluiu que um em cada três espanhóis aceitaria uma união entre Portugal e Espanha.

O objectivo principal do inquérito efectuado pelo Centro de Análises Sociais da Universidade de Salamanca (CASUS) era entender o conhecimento que ambos os países têm um do outro, assim como a opinião sobre a hipótese de formar um país ibérico único.

O estudo revela ainda que enquanto cerca de 55 por cento dos portugueses sabe o nome do actual presidente do governo espanhol, apenas 1,2 por cento dos espanhóis conhece o nome do primeiro-ministro luso.

As três personalidade portuguesas mais conhecidas em Espanha são, por ordem de popularidade, Cristiano Ronaldo, Luís Figo e o Nobel José Saramago. Por cá, as personalidades espanholas mais populares são o cantor Julio Iglesias, o rei Juan Carlos e a princesa Letizia.

MRA Alliance/Agências

Desemprego em Espanha deverá ultrapassar 21% em 2010

terça-feira, maio 26th, 2009

O desemprego em Espanha deverá atingir os 18,3% este ano e subir até 21,1% em 2010, segundo previsões da Fundação das Cajas de Ahorro (Funcas). Espanha regista a maior taxa de desemprego na Zona Euro, segundo a Comissão Europeia.
A economia espanhola vai continuar a destruir postos de trabalho nos próximos dois anos, com o emprego a recuar 6,5% em 2009 e 2,9% no próximo ano, adianta a fundação. 

O Produto Interno Bruto (PIB) deverá recuar 3,8%, em 2009, e 1,2%, em 2010.

No último relatório trimestral, a Funcas acrescenta que, no primeiro trimestre do ano, a economia caiu 3% face ao período homólogo de 2008 e 1,9% em comparação com o último trimestre de 2008.

A  fundação espanhola salienta que os primeiros três meses do ano, poderão ter sido os piores do actual ciclo recessivo. Futuramente, adianta, o PIB continuará a cair, mas a um ritmo menos acelerado.

MRA Alliance/Agências

Espanha: PIB recua 3% e atira mais um milhão para o desemprego

quarta-feira, maio 20th, 2009

A economia espanhola contraiu 3% (taxa anualizada) no primeiro trimestre de 2009, devido à  quebra da procura interna e do investimento. Segundo dados do Instituto Nacional de Estadística (INE), hoje divulgados, os números confirmam a perda de mais de um milhão de empregos nos últimos 12 meses.

O valor para a variação trimestral do Produto Interno Bruto (PIB) foi revisto em alta (0,1%)para 1,9% negativo, agravando em nove décimas a queda do trimestre precedente. Em ambos os casos – homólogo e sequencial – a economia do país vizinho mostra o pior desempenho dos últimos 40 anos.

De acordo com o relatório do INE, o emprego em Espanha está a cair a uma taxa de 6%. Este  ritmo pressupõe a eliminação anual de quase 1,15 milhões de empregos a tempo inteiro.

MRA Alliance/Agências

Espanha com mais de 4 milhões de desempregados

sexta-feira, abril 24th, 2009

A taxa de desemprego fixou-se nos 17,36% em Espanha, durante o primeiro trimestre do ano, segundo os dados avançados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística espanhol, registando um crescimento de 3,45%, no período. Espanha tem actualmente 4,010 milhões de desempregados. Nos primeiros três meses deste ano, mais 800 mil trabalhadores ficaram sem trabalho.

A taxa de desemprego apurada pelo INE espanhol é a mais alta desde o quarto trimestre de 1998 , quando chegou aos 17,99%. O número de desempregados em Espanha é o mais elevado desde há 34 anos, quando se começaram a publicar estatísticas sobre a situação do mercado de trabalho.

MRA Alliance/ Agências 

Rússia quer transformar Espanha num parceiro estratégico

segunda-feira, março 2nd, 2009

Medvedev e ZapateroO presidente russo, Dmitri Medvédev, inicia hoje uma visita oficial a Madrid com o objectivo de transformar a Espanha num aliado de negócios estratégico no sector energético, infraestruturas, ciência e inovação, transporte e turismo, informa hoje o diário ABC.

Medvédev participará hoje, juntamente com uma delegação de 25 empresários russos, num fórum com as principais empresas espanholas para debater estratégias de reforço dos investimentos bilaterais e aumento das trocas comerciais.

MRA Alliance 

Espanha: Economia só recuperará no segundo semestre de 2011, dizem 317 especialistas

segunda-feira, fevereiro 23rd, 2009

Um painel de 317 especialistas e empresários espanhóis consultado pela empresa global de consultoria PricewaterhouseCoopers, no âmbito do inquérito “Consenso Económico”, relativo ao primeiro trimestre de 2009, considerou que a recuperação da economia espanhola só acontecerá no segundo semestre de 2011, noticiou a agência EFE. 

A maioria dos inquiridos estima que serão necessários mais de dois anos para que o PIB espanhol volte a ter um crescimento de 2%, nível a partir do qual a economia gera emprego líquido. O pessimismo reflecte-se nas previsões do crescimento económico em 2009 (-2,3%) e 2010 (- 1,2%).

Cerca de 75% dos especialistas e empresários entrevistados acredita que, nos próximos seis meses, a contracção da economia será mais acelerada. Noventa por cento considera que as empresas irão manter ou reduzir os actuais postos de trabalho, com 77% a sustentarem que as empresas não vão criar novos empregos até 2011.

Quanto à estabilidade dos preços, a maioria negou a existência do perigo da deflação, em 2009, e prevê taxas de inflação de 1,1% no final do ano. 

Sobre a evolução das taxas de juro, 75% acredita que o Banco Central Europeu (BCE) prosseguirá a actual política de cortes prevendo que se situem em 1,5%, ou abaixo, até Dezembro.

MRA Alliance/EFE 

Espanha: Banqueiros estão desconfiados e com medo de conceder crédito

domingo, fevereiro 15th, 2009

Aurelio Martinez - ICO Espanha - PresidenteO presidente do Instituto de Crédito Oficial (ICO), Aurelio Martínez, revelou que a banca espanhola “tem medo” de operacionalizar empréstimos e que os departamentos de riscos duvidam dos balanços apresentados pelos clientes. Numa entrevista ao diário “Público”, Martinez considera que actualmente “o problema da banca não é a liquidez  mas sim a dificuldade de avaliar os riscos”. 

Em sua opinião, o perigo actual reside na extrema concentração do crédito em activos imobiliários – cerca de 47% do crédito total concedido às empresas espanholas- aconselhando “extrema cautela” na concessão de empréstimos. 

Sobre as propostas para a criação de um “banco careca”, onde seriam depositados todos os activos tóxicos do sistema, o líder do organismo de crédito público de Espanha considera que se trata de uma “medida para ganhar tempo” que poderá não resolver o problema pois é desconhecida a quantidade e o ritmo a que crescem os activos problemáticos. No entender de Martinez tal solução não deverá, por agora, se adoptada pelo governo espanhol.

MRA Alliance/Agências

Espanha: Ministro diz que desemprego pode chegar a 12,5% no 1.º trimestre de 2009

sábado, novembro 29th, 2008

O ministro espanhol do Trabalho e da Emigração, Celestino Corbacho, admitiu que a taxa de desemprego em Espanho deverá passar de 11,3% para 12,5% durante o primeiro trimestre de 2009. Corbacho, todavia, manifestou-se convencido de que, a partir de Março, a economia recuperará a confiança e deverá iniciar a recuperação.

MRA Dep. Data Mining

5.ª imobiliária de Espanha declarou falência

sexta-feira, novembro 28th, 2008

O conglomerado imobiliário espanhol Promociones Habitat apresentou hoje nos tribunais o pedido de falência por não conseguir fundos para amortizar a dívida de EUR 2,3 mil milhões/ bilhões (mm/bi), após o falhanço para tentar renegociar o acordo de pagamento com os bancos credores, celebrado em Fevereiro de 2007.

Os principais bancos que reclamam 44% da massa falida, são La Caixa (EUR 232 milhões), Caja Madrid (220), Banco Santander (218), BBVA (200) y Banco Popular (160). O resto da dívida reparte-se entre outros bancos e caixas económicas, que incluindo os accionistas minoritários, somam 38 entidades.

A Promociones Habitat, a quinta maior imobiliária de Espanha, entrou em crise após a compra da Ferrovial Imobiliária, em 2006, com uma dívida acumulada superior a EUR 2,2 mm/bi.

O rebentamento da bolha imobiliária espanhola, na sequência da crise hipotecária e do aperto do crédito, matou as aspirações da administração de a transformar na primeira empresa nacional do sector.

Contudo, a administração ainda tem esperanças de continuar o projecto empresarial após um período de reestruturação e redimensionamento sob protecção judicial.

MRA Dep. Data Mining/El Periodico

Espanha: Programa de emergência quando inflação já ultrapassou os 5 %

quinta-feira, agosto 14th, 2008

O Conselho de Ministros espanhol aprovará hoje um programa de 24 reformas económicas para combater a crise económica nos sectores da habitação, transportes, energia, telecomunicações e ambiente. Entre as medidas previstas conta-se uma nova linha de crédito para o Instituto de Crédito Oficial (ICO). O reforço financeiro implica a injecção na economia, até 2010, de 20 mil milhões (bilhões) de euros. Grande parte dos fundos destina-se a aumentar os avales públicos para titular empréstimos hipotecários de alto risco e aumentar os apoios às PME’s. O programa vai ser aprovado um dia depois da publicação dos resultados da inflação. Os preços voltaram a subir em Julho para 5,3%, tendo atingido o valor mais alto nos últimos 16 anos. Segundo os dados divulgados, os preços relacionados com a habitação e transportes foram os principais causadores da subida. O encarecimento do custo de vida em Espanha começa a gerar movimentos de descontentamento social, sobretudo nos meios urbanos. MRA/Agências