Archive for the ‘Angola’ Category

Remessas de emigrantes portugueses em Angola crescem 30%

terça-feira, setembro 20th, 2011

O valor das remessas enviadas pelos portugueses a trabalhar em Angola continuou a subir em 2010, aumentando, num ano, 30,34%, para 134,9 milhões de euros.

A progressão, embora a um ritmo menor do que o crescimento verificado entre 2008 e 2009, impulsionou a subida do valor das remessas de emigrantes portugueses no conjunto dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) mais Timor-Leste.

Angola mantém-se no pelotão da frente dos PALOP com o maior valor de remessas enviadas para Portugal, distante de Cabo Verde, que, com 3,1 milhões de euros em remessas, surge em segundo lugar, de uma lista revelada hoje pelo Banco de Portugal num relatório sobre a evolução das economias nestes países.

Somando Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, as remessas de emigrantes totalizaram, de 2009 para 2010, 141,5 milhões de euros, mais 29,7% do que um ano antes.

O valor do dinheiro que entrou em Portugal vindo destes seis países é quase quatro vezes superior ao valor das remessas enviadas de Portugal para os PALOP e Timor-Leste, que desde 2008 está a cair e ficou, no ano passado, em 37,1 milhões de euros, menos 11,6% face a 2009. A maior queda registou-se entre os cabo-verdianos, que enviaram para o seu país de origem 12,9 milhões de euros, uma descida de 38,3%.

MRA Alliance/Público

Angola: Altas patentes morrem em queda de avião militar

quarta-feira, setembro 14th, 2011

Um avião militar angolano despenhou-se hoje depois de ter levantado voo da cidade de Huambo, no centro do país, matando pelo menos 30 pessoas, entre as quais três generais, informou a agência de notícias angolana Angop.

Segundo a Polícia Nacional angolana há um total de 30 mortos e seis feridos. Um sobrevivente que está hospitalizado disse ao semanário Sol que o acidente ocorreu muito rápido que é difícil perceber o que aconteceu. A mesma fonte acrescentou que o piloto parecia estar consciente de que haveria uma falha técnica.

As causas do acidente ainda não são conhecidas, mas os bombeiros e as Forças Armadas já estão no local a recolher dados. De acordo com a BBC online a maioria dos passageiros serão oficiais da Força Aérea.

MRA Alliance/Público

Presidente angolano é o 6º homem mais poderoso da economia portuguesa

quinta-feira, agosto 25th, 2011
Todos os caminhos do poder angolano vão dar ao Presidente de Angola. Discreto mas activo, a sua força política em Portugal cresce com o PSD, reforçando um poder económico especialmente visível através da Sonangol e da filha, Isabel dos Santos. É um poder crescente e cada vez mais sólido. Na economia portuguesa. E para as empresas portuguesas em Angola.
A Bolsa de Valores de Luanda é um projecto antigo e inexistente. Mas se para lá fossem transferidas todas as empresas portuguesas com interesses em Angola, o PSI-20 passaria a PSI-10. Das grandes empresas portuguesas aos pequenos empresários, dos aventureiros aos desventurados, Angola passou a Plano A de Portugal. E José Eduardo dos Santos é a soma de todas as partes. O vértice de uma pirâmide onde assenta o poder angolano. Dentro e fora de portas.

MRA Alliance/JdN

Países da África Austral pedem à NATO fim da intervenção militar na Líbia

sexta-feira, agosto 19th, 2011

O Presidente angolano José Eduardo dos Santos defendeu hoje em Luanda que a NATO deve pôr fim à intervenção na Líbia e apoiar um acordo político entre as partes em conflito.

O líder angolano, que falou depois do encerramento da 31ª Cimeira de chefes de Estado e de Governo da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), que decorreu em Luanda, referiu-se às “situações de conflito” noutras partes do continente africano, “particularmente a Líbia, onde é difícil encontrar uma saída para a situação de guerra que afeta o país”.

“Na Líbia, a NATO deve cessar a sua ação militar e abrir espaços para a negociação de um acordo político entre as partes beligerantes, sem condições prévias, mediante a adoção da proposta da União Africana (UA)”, sublinhou o presidente em exercício da organização da África Austral.

MRA Alliance/Agências

Banco Bic é o novo dono do BPN

domingo, julho 31st, 2011

O Banco Bic será o novo dono do BPN, avançou o Ministério das Finanças, em comunicado, divulgando que a proposta de aquisição de 100 por cento das ações do banco pelo angolano BIC é de 40 milhões de euros.

«O Governo comunica que tomou hoje a decisão de selecionar a proposta do Banco BIC Português, S.A. com vista a negociar, em condições de exclusividade, um acordo para a alienação das ações representativas do capital social do BPN», avança o comunicado do Ministério das Finanças.

A proposta de aquisição de 100 por cento das ações do BPN pelo Banco BIC é de 40 milhões de euros, a realizar na data de transmissão das ações. Adicionalmente, caso o banco apresente um resultado acumulado líquido de impostos superior a 60 milhões de euros ao final de cinco anos após a data da transação, será pago ao vendedor uma percentagem de 20 por cento sobre o respetivo excedente, a título de acréscimo de preço, frisa o comunicado.

A nota explica que a celebração do contrato formalizando a transação deverá ocorrer num prazo máximo de 180 dias, tendo em conta «a necessidade de estabelecer um prazo de conclusão das negociações em exclusividade, e, caso as mesmas sejam bem sucedidas, da obtenção dos pareceres e autorizações por parte das entidades reguladoras e da celebração dos contratos».

O Ministério das Finanças sublinha que a decisão do governo «assegura a continuidade da atividade do BPN e tem em consideração a defesa dos interesses dos depositantes» e adianta que o Banco BIC garante a integração de um mínimo de 750 dos atuais 1.580 colaboradores do BPN.

Quanto à rede de agências e centros de empresa do BPN, assim como à totalidade dos trabalhadores a eles afetos, a nota explica que «será transmitida ao proponente comprador», que «indicou a intenção de proceder à respetiva racionalização».

Já o Estado vai suportar os custos com a eventual cessação dos vínculos laborais dos trabalhadores das agências e/ou centros de empresa que venham a ser encerrados ou reestruturados num prazo máximo de 120 dias após a data de transmissão das ações, acrescenta.

O Governo adianta que a recapitalização do BPN, prévia à transmissão das ações, atingirá os cerca de 550 milhões de euros, sendo o total do custo do Estado com o BPN, descontado do preço de venda, nesta data, de cerca de 2,4 mil milhões de euros.

MRA Alliance/Sol

Privatizações portuguesas aguçam apetite do Estado angolano

quinta-feira, julho 28th, 2011

O ministro de Estado e chefe da casa Civil da Presidência de Angola, Carlos Feijó, disse ontem em Luanda que o seu Governo está a estudar “profundamente” a possibilidade de entrada no processo de privatizações em Portugal. Em conferência de imprensa para balanço das actividades do Governo no segundo trimestre de 2011, Carlos Feijó disse que as autoridades angolanas realizaram três estudos para a análise do processo de privatizações em Portugal.

“Estudámos profundamente o programa que a troika negociou com o Governo português, estudámos profundamente o programa de Governo do partido que venceu as eleições e estudámos profundamente o programa de privatizações que Portugal pretende implementar num curto período de tempo”, referiu Carlos Feijó.

Os programas a serem apresentados à apreciação do Presidente  José Eduardo dos Santos serão aqueles que “eventualmente” possam interessar a empresas públicas ou privadas angolanas, para efeitos de cobertura governamental.

MRA Alliance/Público

MNE vai este mês a Angola, Moçambique e Brasil

sábado, julho 9th, 2011

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, vai fazer visitas oficiais a Angola, Moçambique e Brasil no final do mês. Portas começa a 21 de Julho em Angola e termina a 25 em Brasília. 

O MNE irá ainda ao Peru, a 27 e 28 de Julho, para representar Portugal na tomada de posse do novo Presidente, Ollanta Humala.

MRA Alliance/Agências

Isabel dos Santos ‘domina’ hipermercados Continente em Angola

domingo, março 13th, 2011

A empresária angolana Isabel dos Santos deverá ser a accionista maioritária na rede de hipermercados da Sonae em Angola, cujo arranque deverá ser anunciado nas próximas semanas, apurou o semanário SOL.A entrada no mercado angolano do grupo português liderado por Paulo Azevedo vai ser realizada através da marca Continente, apesar de a hipótese de criar supermercados de raiz ou adquirir insígnias locais existentes também estar em cima da mesa. Paulo Azevedo também já manifestou interesse em criar uma espécie de ‘Clube de Produtores’ em Angola, à imagem do que acontece em Portugal.

O modelo de investimento era o único ‘entrave’ nas negociações da Sonae DC – subsidiária para o retalho do grupo – com Isabel dos Santos, que se ‘arrastam’ há mais de um ano. Contactada pelo SOL, fonte oficial da Sonae recusou fazer comentários.

A parceria da empresária com a Sonae reforçar a presença ou ligação da filha do presidente de Angola a empresas portuguesas. Desde Março de 2009 que Isabel dos Santos detém uma participação de 9,7% no BPI, através da sociedade Santoro. A empresária angolana é ainda dona de 10% da Zon Multimédia, através da Kento. A joint venture entre a operadora portuguesa liderada por Rodrigo Costa e Isabel dos Santos, estabelecida em Fevereiro do ano passado, deu lugar, entretanto, a um projecto de televisão por satélite em Angola (Zap), onde detém 70%.

MRA Alliance

BCP confirma reforço da Sonangol para 15%

sábado, março 12th, 2011

O BCP informa num comunicado enviado à CMVM que os angolanos controlam actualmente 14,59% do capital do banco. O BCP revela que os angolanos são agora titulares de 685.138.638 acções do banco, representativas de 14,59% do seu capital social.

Os angolanos compraram assim mais 5% do BCP e, segundo fonte próxima da petrolífera, pretendem chegar até aos 20%, limite que os obriga a comunicarem a sua posição ao mercado.

O momento tem sido favorável à compra de acções da instituição, dado que o preço dos títulos continua muito baixo (0,63 euros), pelo que é provável que a Sonangol continue a reforçar a sua posição no banco até à Assembleia-Geral anual, prevista para Maio.

MRA Alliance/DE

Marcha do MPLA juntou em Angola três milhões contra críticos do regime

sábado, março 5th, 2011

MPLA - Marcha pela Paz em LuandaO primeiro secretário provincial de Luanda do MPLA, Bento Bento, disse hoje que três milhões aderiram na capital angolana à “marcha patriótica pela paz” e garantiu que a manifestação anti-governamental, prevista para segunda-feira, não se vai realizar.Em declarações à imprensa no final da iniciativa promovida pelo partido no poder, Bento Bento, referiu que a quantidade de pessoas presentes na marcha, cujo número é inconfirmável, significa “a reafirmação de um povo que quer paz, que não quer confusão, que apostou na democracia e já não aposta na subversão, nem em aventureiros”.

“Aventura política aqui em Angola nunca mais. Foi isso que esse povo aqui disse, que está com o MPLA e com aquele que muito lutou pela paz, o arquiteto da paz [José Eduardo dos Santos]”, realçou Bento Bento.

MRA Alliance/Agências

Balsemão, Nabeiro e Proença de Carvalho investem juntos em Angola

quinta-feira, fevereiro 24th, 2011

KwanzasInvestidores portugueses, como Francisco Pinto Balsemão, Rui Nabeiro, Hipólito Pires, Proença de Carvalho e o embaixador António Monteiro, juntaram-se a empresários estrangeiros, entre os quais Carlos da Silva, líder do banco angolano Atlântico, para criar a InterOceânico. Esta sociedade com sede em Portugal tem um capital social inicial de 75 milhões de euros e pretende investir em grupos económicos em Portugal, Angola, Brasil e China.

Neste “losango”, como fez questão de sublinhar Carlos da Silva, que lidera o projecto, na apresentação da InterOceânico, foram já identificadas oportunidades em sectores como a agro-indústria, energia, indústria transformadora e sector financeiro.

Neste momento, adiantou aos jornalistas esta “associação de empresários”, como lhe chamou, está a analisar três projectos no sector financeiro em Angola, Brasil e Portugal, está a trabalhar num projecto agro-industrial e está em negociações com uma “holding” da área da energia, na qual pretende tomar uma participação de cerca de 5%. O responsável escusou-se, contudo, a adiantar nomes. Garantiu apenas que “no primeiro semestre deste ano haverá notícias dos projectos”.

Também este ano, sublinhou, entrarão investidores brasileiros e chineses no capital da InterOceânico, que tem na sua estrutura fundadora um investidor holandês e um israelita.

MRA Alliance/JdN

Angola pressiona Petrobras para recuar na Galp e quer impor solução accionista

quinta-feira, fevereiro 3rd, 2011

No Verão passado, a Petrobras suspendeu a compra da participação da Eni na Galp – de 33,34% – até o Brasil eleger um novo presidente e agora comunicou que desistia de entrar na Galp Energia. A notícia, avançada pela Reuters e pelo “Expresso”, foi confirmada ao i online por uma fonte ligada à empresa brasileira.

A decisão da administração da Petrobras, comunicada terça-feira à noite, apanhou de surpresa os envolvidos no negócio, uma vez que os termos da transacção, incluindo o preço, estavam fechados, e até existiam esboços de contratos.

A única explicação para este recuo, ao que parece decisivo, está na crescente pressão angolana contra um negócio entre a Petrobras e a Eni que deixava de fora os objectivos da Sonangol e da holding de Isabel dos Santos para a Galp. O desconforto e os recados crescentes do lado angolano terão sido o argumento decisivo usado por aqueles que dentro da Petrobras estavam, desde o início, contra a compra de uma participação na Galp. A operação era sobretudo apoiada pelo poder político brasileiro próximo do ex-presidente Lula da Silva.

Depois de ter ameaçado vetar a venda de 25% do capital detido pela Eni à Petrobras, e após uma reunião inconclusiva com a Amorim Energia, os representantes angolanos terão vindo a Lisboa falar com o primeiro-ministro.

Fontes próximas do negócio confirmaram ao i que estava marcada para o final de ontem uma reunião com José Sócrates e o advogado António Vitorino, e o presidente da Sonangol, Manuel Vicente, e o chefe da casa civil do presidente angolano, Carlos Feijó. A notícia, avançada pelo “Diário Económico”, não foi confirmada pelo gabinete do primeiro-ministro.

A aparente desistência da Petrobras torna mais difícil uma solução accionista para a Galp e cria um sério embaraço ao governo português. De um lado está a italiana Eni, que sempre disse que, se não pudesse garantir o controlo da empresa portuguesa, vendia. A alienação será ainda o objectivo da Eni, mas vai demorar mais tempo a concretizar, apesar de os italianos dizerem que há interessados.

Do outro lado está a Sonangol que, em teoria, está disponível para ficar com a participação total da Eni na Galp. Mas esta solução não é do agrado do governo português, que ambiciona manter algum poder accionista em mãos nacionais. Por outro lado, se os capitais angolanos são bem-vindos na compra de participações importantes, mas minoritárias, em grandes empresas, como o BCP, o BPI ou a Zon – até para ajudar os empresários nacionais a crescer em Angola -, o cenário muda quando está em causa o controlo de um dos mais importantes grupos.

No meio deste complexo xadrez está Américo Amorim. O empresário trouxe a Sonangol e Isabel dos Santos para a sua holding, a Amorim Energia, que é accionista da Galp com a mesma participação da Eni (33,34%). Mas nos últimos meses tem sido o principal obstáculo a uma entrada directa com uma posição relevante dos capitais angolanos na Galp. O Estado português é o árbitro neste jogo, já que através da Caixa tem direito de preferência na compra das restantes participações – CGD e Parpública são donos de 8%. Só que agora não tem recursos financeiros para fazer a aquisição. Os empresários e os bancos nacionais também não.

MRA Alliance

Holding de Isabel dos Santos sobe para 10% participação no BPI

sábado, dezembro 4th, 2010

Isabel dos SantosO BPI anunciou que a empresa detida por Isabel dos Santos, a Santoro, reforçou para 9,88% a sua posição na instituição. O banco liderado por Fernando Ulrich anunciou, em comunicado enviado ao mercado, que a Santoro adquiriu 698.919 acções da instituição nos últimos sete dias.

A transacção foi comunicada pelo facto de estar ligada a um dirigente da instituição, Mário Leite da Silva, administrador do BPI, e presidente do conselho de administração da Santoro Finance. A Santoro está no capital do BPI desde o final de 2008, altura em que adquiriu 9,7% do capital do banco, até então detido pelo BCP.MRA Alliance/DE

Angola: Pagamento de obras às construtoras portuguesas retido no país

quarta-feira, outubro 13th, 2010

Cavaco Silva com José Eduardo dos Santos, em LuandaO dinheiro das dívidas já pago às construtoras nacionais continua retido em Angola sem poder ser repatriado com as empresas portuguesas a ser impedidas pelas autoridades angolanas de transferir essas verbas para as suas contas bancárias em Portugal. Desta forma, o acordo estabelecido em Julho, sob a égide dos dois presidentes, Cavaco Silva e José Eduardo dos Santos – quando o presidente português se deslocou oficialmente a Angola – não está a resolver os problemas financeiros e de tesouraria das empresas nacionais do sector, numa altura em que o crédito escasseia, a banca pressiona para cobrar dívida e o mercado interno de obras públicas está totalmente estagnado.”A questão das dívidas de Angola às construtoras portuguesas n