Pânico nas bolsas com Lisboa a derrapar mais de 9% numa semana

Uma semana de nervosismo nos mercados financeiros com os receios de contágio da crise da dívida aos grandes da zona euro fez recuar as praças europeias para mínimos. O principal índice da bolsa de Lisboa perdeu, numa semana, 9,37 por cento do seu valor. Hoje, cedeu 1,2 por cento, revela o diário Público.

A queda acumulada compara os valores de fecho da sessão da última sexta-feira com o último valor final da sessão de hoje. Em mais um dia de inquietação nos mercados de capitais, o PSI-20 acabou por fechar novamente no “vermelho”, depois de uma sessão muito volátil nas praças europeias, que chegaram a estar em alta, mas acabaram por resvalar na hora de fecho.

Ao terminar nos 6.249,21 pontos, o índice de referência nacional caiu para mínimos de Abril de 2009. A Sonae desvalorizou pela terceira sessão consecutiva, fechando hoje no último lugar do índice com uma quebra de 5,07 por cento (para 0,543 euros por acção). Entre as maiores quedas ficou ainda a EDP Renováveis, que abrandou 4,16 por cento (para 4,121 euros por título).

Apenas três empresas – REN, BES e EDP – encerraram em alta. Deste lote, só a eléctrica cresceu acima de um por cento, tendo terminado com as acções a valerem 2,25 euros cada uma. A PT e a Sonaecom conseguiram segurar as acções, fechando com os títulos em valores inalterados em relação a ontem.

Na banca, ao contrário do BES, as restantes três instituições com presença no PSI-20 terminaram a desvalorizar mais de um por cento. O Banif derrapou mesmo 3,92 por cento (para 0,49 euros) e o BPI desvalorizou 1,66 por cento (para 0,886 euros por título). Já o BCP, conhecendo um recuo de 1,41 por cento, ficou com as acções a valerem apenas 28 cêntimos cada.

Na Europa, as bolsas abriram a sessão em forte queda, algumas chegaram a inverter a trajectória negativa, mas acabaram por voltar às perdas. O Dax, de Frankfurt, cedeu 2,78 por cento; a bolsa de Londres terminou com o Footsie-100 a recuar 2,71 por cento; o parisiense CAC 40 caiu 1,26 por cento, mais do que o FTSE Mib, de Milão, que contraiu 0,70 por cento, e do que o Ibex 35, que desvalorizou 0,18 por cento.

Nos Estados Unidos, apaesar da ligeira queda do desemprego em Julho, anunciada hoje, o medo de agravamento do clima recessivo penalizou os principais índices no agregado da semana.

A bolsa tecnológica Nasdaq acumulou uma perda semanal de 8%, tendo hoje caído 0,94%. O Dow Jones, que fechou hoje a subir 0,54%, registou a pior semana desde Março de 2009. Desde segunda-feira perdeu 5,8% e, desde Julho, já encolheu 10%. O S&P 500, referência para os fundos de investimento, caiu hoje 0,1%. durante a semana recuou 7,2% e desde 22 de Julho encolheu 10,8% ininterruptamente.

MRA Alliance

Leave a Reply