Boat people chegam ao Algarve

“Tentei melhorar de vida, mas não tive sorte. Ia morrendo”. O desabafo de um dos 23 marroquinos clandestinos detidos ontem, em Olhão, resume o sentimento do grupo que o mau tempo terá impedido de chegar a Espanha. Os 18 homens e cinco mulheres terão estado quatro dias à deriva, sem comida nem água, até ter sido localizados, ao fim da manhã, na ilha da Culatra. Oito pessoas foram assistidas no hospital de Faro, com sintomas de hipotermia e desidratação, mas não correm perigo de vida.
Os imigrantes foram encaminhados para o centro temporário do SEF no aeroporto de Faro, que “tem capacidade para acolher as 23 pessoas”. A provável transferência para outros centros vai ser equacionada numa reunião à tarde. Hoje, os imigrantes deverão ser presentes a tribunal. José Van der Kellen explicou ainda que não houve necessidade de envolver organizações não-governamentais no acolhimento.


Fonte: Jornal de Notícias

Leave a Reply