BCE vai intervir em força nos mercados para travar crise

A reunião de emergência, via teleconferência, do Banco Central Europeu, segundo o relato de uma fonte citada pela Reuters, abordou as medidas a tomar para suster ataques especulativos contra as dívidas soberanas  de Itália e da Espanha.

A Itália já é vista como a próxima vítima da crise de dívida com a taxa de  juro a dez anos a superar, na sexta-feira, a ‘yield’ dos títulos espanhóis da mesma maturidade. 

Segundo aquela fonte, o BCE deverá começar a comprar obrigações de Espanha e Itália no mercado secundário para evitar que o contágio acelere a crise de dívida. No final da semana passada, o Governo italiano garantiu que o BCE prometeu iniciar a compra de obrigações do país no mercado secundário a partir de hoje.

“O sistema do euro vai intervir de uma forma muito significativa nos mercados e responder de uma forma coesa”, afirmou a fonte, acrescentando que brevemente o BCE divulgará um comunicado.

Também hoje a chanceler alemã Angela Merkel e o Presidente francês Nicolas Sarkozy emitiram um comunicado conjunto onde reafirmam o seu compromisso com as decisões tomadas na cimeira extraordinária da zona euro de Julho. Entre elas está a possibilidade de o fundo europeu de estabilização financeira (FEEF) comprar dívida dos países intervencionados no mercado secundário. Nesse sentido, os dois líderes sublinharam ainda a importância de os parlamentos nacionais aprovaram as medidas até ao fim de Setembro.

Merkel e Sarkozy congratularam-se com os recentes esforços de consolidação orçamental decidos por Madrid e Roma, frisando que “a rapidez de implementação das medidas anunciadas é fundamental para restaurar a confiança nos mercados”.

O executivo italiano anunciou ontem que vai acelerar as medidas de austeridade para cortar o défice orçamental para um valor abaixo dos 3% já em 2013, um ano antes do previsto. Berlusconi prometeu ainda introduzir na lei o mecanismos de equilíbrio orçamental orçamentos equilibrados, liberalizar o mercado de trabalho e vender activos.

A ministra de a Economia espanhola, Elena Salgado, garantiu este domingo que o Conselho de Ministros vai aprovar novas medidas para combater o défice, ainda em Agosto. Madrid quer introduzir melhorias na gestão do imposto sobre sociedades e flexibilizar o contrato a tempo parcial.

MRA Alliance/DE

Leave a Reply