BCE gasta 22 mil milhões de euros a comprar dívidas soberanas

Depois de 19 semanas fora do mercado, o BCE regressou em força à compra de obrigações soberanas dos países do euro, cumprindo a promessa de ser agressivo no mercado secundário. Na semana que terminou a 12 de Agosto a autoridade monetária europeia gastou 22 mil milhões de euros na compra de dívida soberana dos países do euro que estão no olho do furacão.

Este valor semanal é o mais elevado de sempre, superando os 16,5 mil milhões de euros que o BCE tinha gasto na primeira semana deste programa de compra de activos, em Maio do ano passado. Superou também largamente as previsões dos economistas consultados pela Bloomberg, que apontavam para um valor na ordem dos 15 mil milhões de euros.

Os 22 mil milhões de euros hoje anunciado pelo BCE contabilizam também as compras efectuadas na semana anterior, altura em que o BCE, de acordo com as agências de notícias, foi ao mercado comprar dívida portuguesa e irlandesa.

Depois de 19 semanas de ausência do mercado secundário, o BCE tinha decidido que ia ter uma postura agressiva na compra de dívida dos países do euro, para travar o contágio da crise a Itália e Espanha. A acção da autoridade monetária foi determinante para a descida dos juros que os investidores exigem para comprar dívida destes dois países, retirando pressão sobre Espanha e Itália.

O BCE terá também comprado dívida de Portugal e Itália, contribuindo para a descida pronunciada das “yields” das obrigações portuguesas, que estão agora longe dos recordes fixados em Julho.

MRA Alliance/JdN

Leave a Reply