Banca recusa 500 milhões a construtora madeirense

O governo regional está em dificuldades para fechar a operação financeira da ViaMadeira. Face à recusa da banca de um empréstimo de 500 milhões de euros, solicitado pelas empresas construtoras que integram a concessionária rodoviária, o executivo de Alberto João Jardim envolveu-se na procura de um modelo alternativo de financiamento para as estradas já em construção.

Com as portas da banca fechadas ao crédito, as construtoras, com problemas de liquidez, aguardam o pagamento de mais de 100 milhões de que o governo é devedor.

O governo madeirense, numa resolução publicada no Jornal Oficial de 4 de Dezembro, reconhece que, “apesar dos esforços desenvolvidos por todos os interessados, não foi possível fechar a operação financeira da concessão ViaMadeira”, abrindo-se agora uma negociação directa com as construtoras Tâmega, Zagope, Somague, Afavias e Tecnovia. Até Junho de 2010.

As dificuldades na obtenção do crédito encontradas pela Madeira, com a sua capacidade de endividamento praticamente esgotada e a de financiamento a deteriorar-se, não são alheias à revisão em baixa do respectivo rating. A Moody’s Global Credit Research, no relatório de 14 de Dezembro, mudou para negativa a perspectiva de rating. A nova avaliação, confirmando a depreciação feita em 23 de Outubro de 2008, significa que aumentou o risco de incumprimento de crédito da região e uma subida das taxas de juro.

MRA Alliance/Público

Leave a Reply