Autárquicas: PSD na liderança, PS ganha terreno

De acordo com os resultados oificiais das eleições autárquicas de ontem, o PSD mantém-se como a maior força autárquica, mas perdeu 19 câmaras, enquanto os socialistas conquistaram 22 novas autarquias e conseguiram o melhor resultado de sempre com a liderança de 131 municípios.

Em Lisboa, o Partido Socialista, com o recandidato António Costa, nâo apenas continua a gerir a maior câmara do país, como o passará  fazer com maioria absoluta. No Porto, Rui Rio, à frente da coligação PSD/CDS, repetiu a maioria de vereadores no executivo camarário.

Os sociais-democratas mantêm o maior número de presidências de câmara, embora com uma descida assinalável face às últimas autárquicas. Dos 157 municípios ganhos em 2005 o PSD caiu ontem para 138 (116 a título individual, as restantes em coligação com o CDS/PP).

Com apenas os resultados de dois municípios por decidir, os socialistas conquistaram 131 autarquias. Em número de votos o PS passou a barreira dos dois milhões. O que se traduz em mais 22 câmaras e 918 mandatos – mais 67 do que os obtidos há quatro anos e acima dos 868 conseguidos pelos sociais-democratas (incluindo as coligações).

A CDU fica agora com 28 câmaras, menos quatro do que em 2005 (o que equivale ao pior resultado de sempre da coligação, registado em 2001). Entre as perdas contam-se Beja (ganha pelo PS, com maioria absoluta), Marinha Grande ou Sines, num total de sete municípios. Em sentido inverso, os comunistas ganharam três autarquias.

 Já o CDS manteve a liderança em Ponte de Lima, agora já sem Daniel Campelo, mantendo a título individual uma única presidência de câmara. Nas coligações com o PSD, os centristas garantem a presença na liderança de 22 municípios. O BE mantém-se também com uma câmara: repetiu a vitória em Salvaterra de Magos, mas viu frustrada a eleições de vereadores em Lisboa e no Porto.

Entre as capitais de distrito, a grande surpresa foi Leiria, onde a social-democrata Isabel Damasceno cedeu o lugar a Raul Castro (PS). Além de Beja, também Faro mudou de mãos, com Macário Correia (PSD) a vencer o socialista José Apolinário por 126 votos. Outra reviravolta aconteceu nos Açores, onde pela primeira vez o PS conquistou a maioria das câmaras no arquipélago.

Entre as candidaturas independentes, houve sortes muito diferentes. Isaltino Morais em Oeiras e Valentim Loureiro em Gondomar voltaram a obter expressivas vitórias (embora Valentim tenha perdido a maioria absoluta). Fátima Felgueiras viu-se afastada pela coligação PSD/CDS. Em Matosinhos Narciso Miranda perdeu para Guilherme Pinto (PS).

MRA Alliance/Agências 

Leave a Reply