O Congresso do maior partido político da Federação Russa, “Rússia Unida”, resolveu a principal intriga política dos últimos tempos, afirma hoje o site “Voz da Rússia”: O presidente Dmitri Medvedev propôs, e o partido apoiou, a nomeação do primeiro-ministro e líder do partido, Vladimir Putin, como candidato para a presidência em 2012. O próprio Medvedev, adianta o site, vai liderar a lista de candidatos do partido “Rússia Unida” já nas eleições de Dezembro para a Duma.

Os especialistas russos citados pela “Voz da Rússia, dividem-se sobre a decisão do congresso. Politicólogos russos dizem que a decisão era absolutamente previsível. 

O especialista do Conselho Alemão para Relações Exteriores, Alexander Rar, afirmou: Acho que tudo estava claro, tanto na Rússia quanto no exterior, que Putin ainda é a figura política dominante no país. O condomínio político entre Medvedev e Putin tem mudado muito durante os quatro anos. Fez a Rússia mais pluralista ao mais alto nível, uma vez que os dois políticos tinham algumas pequenas divergências. O tandem foi formado pacíficamente e também pacificamente será dissolvido agora. Putin será presidente. Medvedev ganhará uma oportunidade única de se tornar príncipe herdeiro de Putin, o seu sucessor.

O politicólogo e editor da revista londrina online “Open Democracy”, Sigmund Dzencholovski, não partilha a opinião de Rar: Eu esperava que ou Medvedev continuava [como presidente] ou apareceria um terceiro candidato. Mas esta escolha também tem uma certa lógica. Mesmo assim, Putin é o líder do país, um homem que goza da maior popularidade e apoio. Mas os tempos difíceis aproximam-se. Entendemos que a próxima década será tão boa e brilhante, como foram os últimos dez anos. Talvez eles tenham chegado à conclusão de que o país deve ser dirigido por uma pessoa mais forte.

Outros especialistas e políticos, reagiram de várias maneiras à continuação da partilha do poder russo entre os dois políticos russos. Vladimir Kachin,  membro do Partido Comunista da Rússia, na oposição, manifestou-se crítico e surpreendido: Pensávamos que o tandem [acordo bilateral] tinha determinado há muito tempo como realizar as eleições para a Duma e as eleições. Se compararmos o estado do país de hoje com o de 10 anos atrás, veremos um enorme colapso na Rússia – na indústria, ciência, agricultura, e o tandem não podia provocar nenhuma divisão ou contradição. E assim, esta política levará ao fracasso do governo no poder tanto nas eleições da Duma como nas presidenciais.

O conhecido chefe da União de Industriais e Empresários do país, Alexander Chokhin, ao contrário, acredita que Dmitri Medvedev e Vladimir Putin têm demonstrado uma atitude equilibrada: Agora há uma base para mudanças pessoais no governo. E eu acho que é importante. É um esquema mais transparente. Portanto, o resultado do Congresso de hoje, na minha opinião, é muito positivo para o sistema político e para a política económica.

O especialista do Instituto Real de Assuntos Internacionais Chatham House, James Nixey, também diz que a decisão do congresso da “Rússia Unida” era previsível:  Há um ano ou dois atrás, muitos pensaram que poderia haver rivalidade entre Medvedev e Putin. O presidente da Rússia num artigo no Financial Times chegou a escrever que não poderia imaginar competir com Vladimir Putin. Por isso, não digo que as declarações de hoje tenham sido uma notícia surpreendente para mim. Dmitri Medvedev tem dirigido o país com competência. Por outro lado, Putin pode voltar a assumir o cargo constitucional e legalmente.

Por seu turno, os analistas ocidentais interrogam-se sobre o que vai mudar na política interna e externa da Rússia. Para já, Dmitri Medvedev e Vladimir Putin falam de unidade e continuidade.

MRA Alliance

Leave a Reply